STF nega liberação de passaporte e Ronaldinho Gaúcho segue impedido de deixar o país

O astro do futebol mundial Ronaldinho Gaúcho segue impedido de deixar o país, depois de ter seu passaporte apreendido pela Justiça brasileira. Ronaldinho pedia pela devolução de seu passaporte e de seu irmão, Roberto Assis, junto ao Supremo Tribunal Federal, alegando precisar do documento para exercer sua principal fonte de renda, a participação em eventos pelo mundo. A notícia é do Globo.

Segundo a matéria, a ministra do STF Rosa Weber negou o pedido de Ronaldinho e de Roberto Assis, que foram condenados em 2015 por crime ambiental na região do lago Guaíba, em Porto Alegre. As multas pela construção ilegal de um trapiche com plataforma de pesca chegaram a R$ 8,5 milhões em 2018.

Ronaldinho alega sofrer com prejuízos a partir da apreensão do documento e proibição de deixar o país. Como o Cointelegraph publicou no fim de julho, o ex-jogador teve uma empresa suspensa pela Comissão de Valores Mobiliários por operar Forex, que é proibido no Brasil, além de ter 57 imóveis bloqueados para pagamento de dívidas.

Mais de uma vez, o pentacampeão da Copa do Mundo ainda teve seu nome envolvido em projetos de criptomoedas, entre elas a Ronaldinho Coin, projeto que foi posteriormente abandonado.

Desta vez, Ronaldinho alega que a detenção de seus passaportes (o jogador também possui cidadania espanhola, mas o documento de viagem também está retido) pode levar a um processo por um empresário indonésio, que contratou o astro para um evento mas tem adiado sua participação devido aos problemas judiciais.