IOTA: parte dos US$ 11 milhões em tokens roubados em 2018 é encontrada, afirma relatório

Um membro da Fundação Iota (IOTA), com sede na Alemanha, disse que a maioria dos US$ 11 milhões em seus tokens roubados no ano passado foi encontrada, informou a Reuters nesta quarta-feira, 30 de janeiro.

Conforme informado, o suspeito do assalto foi preso no início deste mês em Oxford, no Reino Unido, após uma investigação multilateral da Europol com autoridades policiais britânicas e alemãs.

A investigação teve início em 2018, depois que vários cidadãos relataram fundos roubados à polícia alemã local. Mais de 85 vítimas do roubo já foram identificadas, com o total de tokens IOTA roubados estimado em cerca de 10 milhões de euros (US$ 11,4 milhões).

Dominik Schiener, cofundador e copresidente do conselho da Iota disse à Reuters que:

“[O que] [a Fundação sabe], é que apenas uma pequena quantia dos 10 milhões de euros não foi encontrada. As exchanges bloquearam as contas do hacker. Ele tentou liberar o dinheiro, mas não conseguiu.

Os fundos estão agora detidos pelas autoridades policiais para serem usados como prova contra o suspeito. Schiener destacou que, embora os investigadores tenham pensado inicialmente que o assalto era responsabilidade de grupo organizado, o rastro deles levou ao trabalho de um único homem, que supostamente "tinha um emprego normal e é bem educado". Sua identidade não foi divulgada .

Como relatado anteriormente, o hacker teria usado um gerador de seeds malicioso - hospedado no domínio iotaseed.io, entre outros sites - que levava os usuários a usar suas chaves privadas. O hacker acessou às carteiras das vítimas e transferiu suas ações para novas carteiras criadas com identidades falsas.

Promotores alemães identificaram o suspeito pela fraude pela primeira vez em julho passado, no Reino Unido. 

O Cointelegraph informou recentemente que crimes relacionados às criptomoedas causaram perdas estimadas em US$ 1,7 bilhão em investimentos em 2018. O relatório observa que quase três vezes mais foi roubado em cripto no primeiro semestre do ano em comparação com a totalidade de 2017.

Um relatório recente da empresa de cripto analytics Chainalysis revelou que dois grupos de hackers receberam a maior parte do dinheiro perdido em fraudes com criptomoedas - totalizando US$ 1 bilhão em ativos.