Ronaldinho Gaúcho diz ao MPF que rompeu com a 18K quando a empresa passou a operar com Bitcoin

O astro do futebol mundial Ronaldinho Gaúcho prestou depoimento nesta quinta-feira, 17 de outubro, sobre sua participação na suposta pirâmide financeira 18K, que é investigada pelo Ministério Público Federal e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Brasil. A notícia é do UOL.

Ronaldinho Gaúcho prestou depoimento na condição de testemunha em Barueri (SP), onde está registrado o CNPJ da 18k. O MPF investiga a empresa, que oferece rendimento de 2% ao dia com Bitcoin, sob suspeita de fraude e pirâmide financeira.

Ao MPF, Ronaldinho disse que não é sócio da empresa e que tinha uma parceria com a mesma através de um contrato de publicidade. Segundo ele, o contrato foi rompido unilateralmente quando a 18K passou a oferecer investimentos com Bitcoin, o que teria desagradado o staff do ex-atleta.

O Ministério Público agora quer ouvir os dois sócios da empresa, Marcelo Lara Marcelino e Rafael Horácio Nunes de Oliveira, que não vivem em São Paulo. Em 30 dias, a CVM também deve publicar um relatório sobre sua investigação contra a 18K.

A defesa de Ronaldinho diz que a 18K teria usado a imagem do pentacampeão do mundo para ofertar investimentos em criptomoedas sem sua autorização. O advogado Sérgio Queiroz, que representa o atleta, diz que este foi o motivo do rompimento da parceria.

Ronaldinho foi garoto-propaganda da 18KRonaldinho por alguns anos, dizendo se tratar de uma empresa de marketing multinível, vendendo relógios e outros produtos e oferecendo bônus como carros de luxo aos seus "líderes" durante reuniões.

O advogado da empresa, Gabriel Villareal, diz na matéria que a 18K não investe o dinheiro dos clientes em operações financeiras:

"A empresa reitera que não utiliza capital de terceiros em suas operações e que não trabalha com investimentos. Todas as operações da empresa são feitas com capital próprio auferido na venda de produtos."

Como o Cointelegraph Brasil noticiou, quando a 18K passou a ser investigada pela CVM, Ronaldinho declarou que já não fazia parte das atividades da empresa. Posteriormente, o ex-jogador também foi convidado para ir à Câmara dos Deputados apresentar explicações.