PF e Receita realizam operação contra empresa de criptomoedas que teria recebido R$ 700 milhões

A Polícia Federal do Rio Grande do Sul e a Receita Federal realizaram nesta terça-feira uma operação contra a empresa financeira de criptomoedas InDeal, de Novo Hamburgo que atuava sem autorização do Banco Central. A notícia foi publicada pelo Jornal NH em 21 de maio.

A nota diz que a operação movimentou 150 agentes, que cumpriram mandatos de prisão preventiva e busca em Porto Alegre e outras quatro cidades do estado, além de Florianópolis e São Paulo.

A operação, batizada de Egypto, seria resultado de inquérito instaurado em janeiro de 2019 para apurar a atuação da InDeal em Novo Hamburgo, sede da empresa, sob suspeita de pirâmide financeira

As investigações apuraram que a empresa estaria captando recursos de terceiros para investimento em criptomoedas, prometendo retorno de pelo o menos 15% no primeiro mês, sem ter autorização legal para tal. Os investimentos variavam entre R$ 1 mil e R$ 100 mil. 

Segundo a Receita, a InDeal recebeu créditos de R$ 700 milhões entre agosto de 2018 e fevereiro de 2019. A matéria do NH detalha: 

“Os sócios da instituição financeira clandestina apresentaram evolução patrimonial de grande vulto, em alguns casos, passou de menos de 100 mil reais para dezenas de milhões em cerca de um ano.”

A empresa e seus representantes são acusados de operação de instituição financeira sem autorização legal, gestão fraudulenta, apropriação indébita financeira, lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

A matéria ainda diz que a polícia ainda apura o envolvimento de pessoas que teriam tentado obter informações que estavam sob sigilo.