Nicolás Maduro convoca estrangeiros a comprar a criptomoeda venezuelana Petro

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, emitiu uma chamada aberta para que os investidores estrangeiros comprem a criptomoeda do país, o Petro, apesar das sanções internacionais.

Em 25 de abril, Nicolas Maduro afirmou que remessas de dinheiro do exterior eram necessárias para sustentar a economia em crise da Venezuela. O presidente fez a declaração ao vivo em transmissão através plataforma de mensagens Periscope.

Maduro fez um apelo a qualquer um que quisesse investir no Petro, que seria um dos poucos meios pelo qual o regime, que sofre com diversas sanções econômicas lideradas pelos EUA, é capaz de financiar suas operações.

"Congratulamo-nos com todos aqueles que vão investir nos setores financeiro e bancário, e na criptomoeda Petro", disse ele.

Como o Cointelegraph relatou, o Petro teve uma recepção cética quando foi lançado em 2018. O ativo, atrelado a reservas de petróleo do país, teria dívidas múltiplas mais altas do que o valor total de mercado da Petro.

Muitos governos internacionais também mostraram ceticismo com relação à criptomoeda, com os EUA sendo os primeiros a impedir legalmente seus cidadãos de interagir com a Petro. Houve notícias, porém, de que o governo venezuelano havia estimulado o câmbio da criptomoeda em uma tentativa de obter liquidez para o token.

Ao mesmo tempo, parte dos próprios venezuelanos teriam optarado por não investir no Petro, levando à compra maciça de Bitcoin no país. Em uma base quase semanal, o país transaciona mais e mais a maior criptomoeda, os cidadãos tentando preservar sua riqueza em face da inflação, que provavelmente atingirá 8 milhões por cento em 2019.

Esta semana, o esquema de caridade Airdrop Venezuela anunciou que havia arrecadado pouco mais de US$ 270.000 em doações para um total de 60.000 beneficiários.