Empresa norte-americana sela acordo com a SEC por suposta ICO de US$ 6,3 milhões não registrada

Uma empresa norte-americana baseada na Nova Englaterra fechou um acordo com a Comissão de Câmbio e Valores Mobiliários (Securities and Exchange Commission - SEC) dos Estados Unidos sobre uma suposta oferta inicial de moeda (ICO) de US$ 6,3 milhões sem registro.

Segundo um anúncio da SEC publicado em 12 de agosto, a SimplyVital Health, Inc. anunciou planos de conduzir uma ICO para levantar fundos para um ecossistema blockchain para saúde chamado Health Nexus em 2017.

A empresa ofereceu um token nativo para o Health Nexus chamado Health Cash (HLTH).

A empresa teria anunciado a pré-venda dos tokens HLTH baseada em Acordos Simples para Futuros Tokens (SAFTs), que foram definidos para serem entregues aos investidores a partir de quando eles foram criados pela SimplyVital.

No entanto, a nota diz: “A SimplyVital não apresentou uma declaração de registro junto à SEC, nem se qualificou a uma isenção de registro antes de oferecer e vender o HLTH ao público por meio das SAFTs”.

A SimplyVital supostamente levantou US$ 6,3 milhões através de sua venda de tokens entre setembro de 2017 e abril de 2018. O comunicado ainda acrescenta:

 

“Depois de concluir sua pré-venda em abril de 2018, a SimplyVital decidiu não oferecer e vender o HLTH durante sua ICO programada. Em 2019, a SimplyVital devolveu voluntariamente aos investidores todos os recursos arrecadados durante a pré-venda.”

Sem admitir ou negar as acusações de ter violado os termos da Lei de Valores Mobiliários de 1933, a SimplyVital concordou com uma ordem de cessação, aplicada pela SEC.

Ainda ontem, o Cointelegraph noticiou que um Tribunal Distrital dos EUA aprovou um congelamento de emergência para trancar US $ 8 milhões arrecadados em uma ICO por um cidadão de Nova York e duas de suas entidades. 

A SEC, que submeteu uma solicitação inicial solicitando a interrupção em 12 de agosto, alega que Reginald Middleton, Veritaseum Inc. e Veritaseum LLC levantaram os fundos em uma ICO, que na verdade era uma oferta fraudulenta e não registrada de valores mobiliários.

Também ontem, Cointelegraph publicou que o investidor de XRP Bradley Sostack abriu uma ação coletiva contra a Ripple, alegando que a empresa enganou os investidores e vendeu XRP como uma garantia não registrada, em violação da lei federal.