Marketing multinível: NYC Technology é investigada pela CVM, empresa opera com Bitcoin e produtos de Victoria Villarim

A Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM), abriu um processo administrativo em setembro para investigar as supostas atividades irregulares da NYC Tecnologies, empresa que opera no Brasil por meio de diversas atividades e baseada em marketing multinível.

Processo: 19957.008762/2019-00 (SP2019/601)

Andamentos Abertos

Processo aberto somente na unidade:
GOI-2 - Gerência de Orientação aos Investidores 2

Informações do Processo

Processo:19957.008762/2019-00 (SP2019/601)
Data de Autuação:13/09/2019
Tipo do Processo:Orientação: DENÚNCIA
Interessados:Gerência de Orientação aos Investidores 2
NYC TECHNOLOGY

O Processo foi instalado por conta de uma denúncia encaminhada a Gerência de Orientação aos Investidores. Segundo a acusação a NYC opera um esquema supostamente fraudulento que oferece rendimentos impraticáveis.

A empresa NYC afirma ter uma ampla gama de serviços incluindo um e-commerce, com diversas linhas de produtos, entre eles, itens com de Victoria Villarim, modelo e ex-noiva do cantor sertanejo Eduardo Costa.

Aliado a oferta de produtos, bracelentes bioquânticos, a empresa também lista entre seus serviços, operações com criptomoedas, inclusive os supostos "rendimentos" da empresa podem ser pagos em Bitcoin.

WhatsApp Image 2019-08-16 at 22.05.33 (8

WhatsApp Image 2019-08-16 at 22.05.32 (1

A empresa não possui registro na CVM para operar no mercado de valores mobiliários e seus sócios também não possuem liberação para atuarem neste mercado. A CVM informa que pode emitir um alerta sobre a NYC em seu site oficial.

Como noticiou o Cointelegraph, a Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) informou ao Cointelegraph que abriu processo para investigar as supostas atividades fraudulentas da A2 Trader e de Kleyton Alves Pinto, segundo destacou a autarquia.

A CVM informou que tanto a empresa quanto o Kleyton não estão registrados junto a instituição e portanto, "não podem exercer as atividades ou prestar os serviços regulamentados pela Lei nº 6.385/76, tais como análise, consultoria ou distribuição de valores mobiliários"

"Informamos a existência do Processo Administrativo SEI nº 19957.006371/2019-42, que foi aberto em decorrência de denúncia contra A2 TRADER. (...) Caso sejam identificados indícios de atuação irregular da A2 TRADER e/ou do Sr. Kleyton, poderá a CVM determinar a suspensão da atividade irregular, aplicar as sanções administrativas previstas no art. 11 da Lei 6385 e comunicar a ocorrência de crime contra o mercado de capitais e/ou a existência de indícios de crime de ação pública, ao Ministério Público", destaca a CVM.