Governo da Mongólia faz parceria para usar blockchain em empréstimos e transferências de dinheiro

A capital da Mongólia, Ulaanbaatar, fez uma parceria com uma empresa de stablecoin para liberar serviços instantâneos de transferência de dinheiro e empréstimo, informou a maior plataforma de mídia de tecnologia da Ásia, a e27, em 11 de janeiro.

O governo da cidade de Ulaanbaatar concordou em se associar a uma empresa sul-coreana de blockchain, de nome Terra, a fim de eventualmente substituir os atuais métodos de pagamento de serviços públicos e subsídios do governo pela stablecoin da Terra, de acordo com a publicação.

O programa piloto está agendado para ser lançado dentro dos próximos seis meses, e começará na cidade de Ulaanbaatar, no distrito de Nalaikh, com planos de expansão em toda a cidade. O artigo também afirma que o programa dentro da capital da Mongólia conterá pagamentos peer-to-peer e pagamentos móveis.

A Terra é um projeto de stablecoin cofundado por Daniel Shin, o criador do mercado de e-commerce sul-coreano Ticket Monster. O projeto de stablecoin fechou uma rodada de financiamento de US $ 32 milhões em agosto de 2018, com participação de Binance Labs, OKEx e Huobi Capital, além da Polychain Capital.

No outono passado, o Banco da Mongólia, o banco central do país, havia dado permissão à maior operadora de telefonia móvel da Mongólia para emitir sua própria moeda digital, como relatou a Cointelegraph em 28 de setembro.

A Terra, o projeto de stablecoin, já havia feito parceria com a gigante sul-coreana de aplicativos de mensagens KakaoTalk em novembro passado também. A parceria visa desenvolver um sistema de pagamento baseado em blockchain e criar um ecossistema de blockchain que permitiria que um grande número de pessoas usasse seus serviços, descreveu a Cointelegraph em 14 de novembro.