Mongólia: Banco Central autoriza emissão da primeira moeda digital

A maior operadora de telecomunicações móveis da Mongólia tornou-se a primeira entidade licenciada do país a emitir sua própria moeda digital, de acordo com um relatório da fonte de mídia estatal oficial Montsame sexta-feira, 28 de setembro.

A Mobifinance, braço financeiro da Mobicom, agora está livre ao emitir a moeda eletrônica, apelidada de “Candy”, para investidores, confirma a Montsame. Os executivos receberam permissão formal em um evento cerimonial na sede do Banco da Mongólia na sexta-feira.

Comentando a conquista, que ocorre cerca de cinco meses depois que o banco central aprovou a regulamentação formal da moeda digital, o CEO da Mobicom, Tatsuya Hamada, mostrou-se altamente otimista quanto ao futuro papel do fenômeno na economia.

“À medida que as moedas digitais começarem a circular, os caixas eletrônicos e os cartões também se tornarão coisa do passado”, afirma Montsame.

De acordo com os planos para moeda digital apresentados pelo banco central em abril, “a regulação define quem participará do sistema monetário digital e como, processo de obtenção de permissão, direitos e deveres de clientes e prestadores de serviços”.

"Também esperava apoiar o desenvolvimento da tecnologia e sistema de pagamentos da FinTech", afirmou a Montsame à época.

A Candy já existe como um ecossistema inteiro para os consumidores da Mongólia, que podem usar a moeda digital para pagar por vários bens e serviços com uma variedade de negócios.