Revista MIT Technology Review: embora elogiada por segurança, blockchain ainda é hackeável

A revista MIT Technology Review publicou um artigo hoje, 19 de fevereiro, argumentando que a tecnologia blockchain, conhecida pela segurança,  ainda é vulnerável a hacks. A revista é de propriedade do consagrado Massachusetts Institute of Technology (MIT) dos Estados Unidos.

No artigo recente, a MIT Technology Review escreve que a tecnologia blockchain representa um sistema econômico complexo que depende de comportamento humano imprevisível.

No artigo, a revista aponta diversas falhas de segurança que têm surgido nas criptomoedas e plataformas de contratos inteligentes, citando diversos incidentes incluindo uma vulnerabilidade de gastos duplicados recente descoberta na grande exchange norte-americana Coinbase em 7 de janeiro.

A MIT Technology Review ainda enumera diversas condições que fazem da tecnologia blockchain vulnerável, incluindo bugs não intencionais no sistema e o fator humano. A revista escreveu:

“Em resumo, enquanto a tecnologia blockchain têm sido consagrada pela segurança, em certas condições ela ainda é bastante vulnerável.  Algumas vezes, a execução de má qualidade pode ser culpada ou então bugs de software não intencionais. Outras vezes será mais nebuloso, o complicado resultado de interações com o código, a economia da blockchain e ganância humana.”

A revista também cita diversas recompensas - programas providos por uma blockchain e por empresas cripto que permitem "white hat hackers" (sinônimo de hackers que denunciam falhas relacionadas a programação de um site/programa)recebem recompensas informando uma certa falha de blockchain em uma determinada plataforma.

De acordo com o TheNextWeb, hackers de "chapéu branco" faturaram US$878,000 ao delatar bugs cripto em 2018.

Recentemente, a Coinbase ofereceu recompensa de US$30,000 por denunciar bugs críticos do sistema, na maior recompensa cripto de uma exchange no HackerOne.

Antes, a MIT Technology Review havia apostado que a tecnologia blockchain se tornaria finalmente comum em 2019, considerando a tecnologia uma das desilusões de 2018.