Minotauro, Amaury Junior, Nego do Borel e Denilson, ajudam a promover suposta pirâmide de Bitcoin; CVM já recebeu denúncia

O lutador de MMA e um dos maiores campeões da categoria, Minotauro, o apresentador Amaury Junior, a rede de televisão SBT e diversas outras celebridades ajudaram a promover uma suposta pirâmide financeira baseada em Bitcoin e criptomoedas, a WishMoney. As celebridades assim como a rede de televisão estiveram hoje, 17 de agosto, no Rio de Janeiro, no evento de pré-lançamento da companhia.

Minotauro foi um dos palestrantes do evento que também contou com um show do artista Nego do Borel. Amaury Junior esteve presente no evento registrando a chegada da "Holding americana". O jogador Denilson também ajudou a promover a empresa gravando um vídeo de publicidade para a Wishmoney e também compareceu ao evento.

 

A Wishmoney afirma que é uma "holding multinacional", que vêm se "estruturando há mais de 2 anos para a união do melhor dos mundos: Mercado financeiro, produtos, serviços e Marketing Multinível”

A empresa afirma ainda ser voltada para a smar city e que seria a primeira construção usando o protocolo Hashgraph, embora não tanha divulgado qualquer documento técnico para provar suas afirmações.

"A WishMoney é a primeira criptomoeda com uma exclusiva tecnologia HASH GRAPH que permite:  O aumento da velocidade das transações, mantendo um altíssimo nível de segurança (600 mil por segundo);  Tecnologia Crypto-mining que permite minerar a moeda através do seu telefone; Disponibilidade de mineração de 6 bilhões de wish moneys"

Entretanto, para participar deste 'sonho' é necessário aderir a um pacote de investimento, com vários valores inciais que devem ser aplicados com retornos prometidos de até 1,50% por dia somente em supostos bônus, além de um esquema de supostos rendimentos com binários e outras táticas de marketing multinível que promete  até 500% de retorno sobre o investimento.

 

 

Um levantamento foi pelo Cointelegraph revelou que a Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) já recebeu denúncia sobre as atividades da empresa que busca captar recursos de investidores nacionais para aplicá-los em seus supostos planos que, desta forma, passam a ser considerados valores mobiliários. A empresa não têm registro na CVM para fazer este tipo de captação.

Como reportou o Cointelegraph, o  presidente da Unick Forex, Leidimar Lopes, junto com outros diretores da empresa, afirmou que irá parcelar os saques atrasados na plataforma e que não vai pagar os rendimentos, segundo um vídeo, publicado em 16 de agosto.

A suposta pirâmide financeira que afirma investir em Bitcoin criptomoedas por meio do mercado Forex (proibído no Brasil) chegou até a dizer que lançaria um banco e uma criptomoeda própria a “CQDX”, agora afirma que só vai pagar o investimento que cada usuário fez e nenhum rendimento.