Diretor da Minerworld realiza casamento, não paga clientes e processa usuários por críticas na redes sociais

Após aplicar um suposto golpe financeiro envolvendo Bitcoin, Cícero Saad Cruz, diretor da Mineworld, resolveu processar ex-investidores por supostamente praticarem atos de injúria contra ele e sua famíla utilizando canais de comunicação nas redes sociais, conforme publicou o portal Midiamax em 03 de julho.

Segundo a publicação, somente no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, são sete ações que tem como base o mesmo teor. As ações teriam sido abertas em junho motivadas por supostas ofensas que Cruz teria recebido por conta da divulgação de seu casamento que ocorreria mesmo com milhares de clientes aguardando ressarcimento de valores aplicados na suposta pirâmide financeira.

As peças trazem prints de grupos de WhatsApp, de acordo com a publicação, e argumentam que os interpelados pretendiam, de alguma forma, atrapalhar a cerimônia de casamento realizada em São Paulo no último dia 22 de junho. Num dos prints anexados à respectiva ação.

“Cadeia neste bandido, obrigar a devolver tudo que ludibriou” (sic), dizia, segundo a peça, um usuário após informações do casamento de luxo serem vazadas nas redes.

A Minerworld prometia retornos acima de 100%  por meio de aplicações em criptomedas, no entanto, no decorrer do funcionamento do suposto esquema, saques começaram a atrasar e os pagamentos foram interrompidos alegando um problema na exchange Poloniex.

O Grupo de Atuação de Repressão ao Crime Organizado (GAECO) realizou uma apreensão na empresa, por meio da Operação Lucro Fácil, e executou mandados de busca e apreensão nos locais usados pela companhia. Até o momento ninguém foi declarado culpado.

Como reportou o Cointelegraph, um golpe na China que alegava ser um campanha oficial da Tron com o uTorrent arrecadou mais de R$ 110 milhões e levou uma família chinesa a cometer suicídio. O "TRX · μTorrent Super Community”, foi um esquema que, usando da popularidade e do marketing em torno da aquisição feita pela Tron do BitTorrent, enganava pessoas na China convidando usuários a transferir TRX para um endereço vinculado ao esquema que prometia um alto retorno aos investidores pois o "Super Community" seria um dos 27 super representantes do projeto do Tron.