Microsoft Korea: País enfrenta ameaça crescente de ataques de mineração furtiva de cripto

A Microsoft Korea afirmou que a Coreia do Sul está enfrentando um aumento nos incidentes com cryptojacking, segundo um relatório do jornal local em inglês The Korea Times, publicado em 22 de abril.

As descobertas foram anunciadas pelo gerente do programa de segurança da Microsoft, Kim Gwi-ryun, durante uma coletiva de imprensa em Seul hoje, que acompanhou o lançamento do Relatório Anual de Inteligência de Segurança da Microsoft.

Conforme relatado anteriormente, o cryptojacking é a prática de usar o poder de processamento de um computador para minerar criptomoedas sem o consentimento ou conhecimento do proprietário.

De acordo com o The Korea Times, a taxa de incidentes de mineração de cripto na Coreia do Sul em 2018 foi de 0,05% - supostamente 58% menor que a média mundial.

No entanto, Kim Gwi-ryun isolou a prática maliciosa de entre outros vetores de ataque de segurança cibernética detectados no país - como malware de cadeia de suprimentos e tentativas de phishing. O representante observou que a Microsoft detectou correlações de mercado na prevalência flutuante de cryptojacking, afirmando que:

"Temos notado que, como o valor da criptomoeda sobe e desce, o mesmo acontece com a taxa de encontro de mineração."

Como o relatório observa, a criptografia furtiva é difícil de detectar e se manifesta em grande parte no desempenho do sistema comprometido devido ao dreno intensivo no poder de processamento que a criptografia apresenta.

Como relatado pelo Cointelegraph, o cryptojacking foi citado em uma recente condenação criminal de alegados dois cibercriminosos romenos, que haviam sido acompanhados em uma investigação conjunta do Departamento Federal de Investigação dos Estados Unidos e da Polícia Nacional Romena.

Um relatório de março de 2019 da AT&T Cybersecurity revelou que o cryptojacking era um dos objetivos mais comuns dos hackers que visam as infraestruturas de nuvem das empresas, apesar do mercado de urso da cripto.

No mesmo mês, surgiram relatórios de uma nova variedade de malware Trojan para telefones Android. O malware supostamente tem como alvo usuários em todo o mundo dos melhores aplicativos de cripto, como Coinbase, BitPay e Bitcoin Wallet, além de bancos como JPMorgan, Wells FargoBank of America.