Empresa de análise de criptomoedas, Messari recomenda que indústria ‘fique longe do Coin Market Cap’

A empresa de análise de criptomoedas Messari afirmou que a indústria de criptomoedas deve se afastar do CoinMarketCap (CMC) como uma fonte de dados sobre o setor, após alegações de que o CMC contabiliza dados possivelmente inflacionados de exchanges de criptomoedas em sua plataforma. A afirmação foi feita em uma análise divulgada nesta terça-feira, 26 de maio.

De acordo com o material, embora o CMC tenha realizado um grande trabalho nos últimos anos provendo dados abertos sobre exchanges de criptomoedas e ativos, o setor deve considerar que mesmo com rumores de uma receita de US$ 100 milhões em 2017, o site pouco fez para aprimorar a análise de seus dados nos últimos 18 meses.

A análise Messari afirma:

“A circulação é informada "conforme reportado" pelas equipes de tokens. Isso inflaciona os valores de capitalização de mercado e leva os índices ao erro. Os volumes de negociação são inflacionados em 20-50x. E são exibidos "conforme reportado".”

Ainda de acordo com a análise da Messari, o CMC poderia nos últimos meses ter alterado sua metodologia de dados e usado sua influência no mercado para exigir das equipes de tokens e exchanges informações honestas sobre suas operações, já que é o único agregador do mercado com esse tipo de alavancagem.

Para a Messari, três razões podem explicar o fato de nenhuma medida para melhorar a qualidade dos dados ter sido tomada: equipe sobrecarregada do CMC, equipe conivente com os dados equivocados ou equipe que não está à altura da tarefa.

A análise da Messari foi publicada no mesmo dia em que a empresa adicionou um novo índice para dez exchanges de criptomoedas, o “Real 10 Volumes” em seu painel OnChainFX limitando o cálculo de volume nas exchanges escolhidas: Binance, Bitfinex, Bitflyer, Bitstamp, Bittrex, Coinbase Pro, Gemini, itBit, Kraken e Poloniex.

O objetivo do novo índice, segundo a Messari, é oferecer informações legítimas sobre o volume negociado nas plataformas.

A discussão em torno da confiabilidade nos dados reportados pelo CMC começou na sexta-feira, dia 22, quando um relatório da Bitwise revelou que 95% do volume nas exchanges não reguladas é falso ou tem natureza não econômica.

Segundo o relatório, ao incluir uma grande quantidade desses dados suspeitos, o CMC fornece “uma impressão equivocada” sobre o tamanho real do mercado.

No dia 25, o CoinMarketCap prometeu via Twitter reorganizar a forma como classifica as exchanges na plataforma.

O CMC é o serviço de acompanhamento de mercado do Bitcoin (BTC) e altcoins mais conhecido na indústria cripto.