BIS, uma das principais instituições de bancos centrais: Bitcoin deve deixar a prova de trabalho

Os problemas do Bitcoin (BTC) só são solucionáveis ​​com o abandono do sistema de prova de trabalho (PoW - Proof-of-Work), de acordo com pesquisa publicada pelo Banco de Compensações Internacionais (BIS) em 21 de janeiro.

De acordo com o artigo, quando no futuro as recompensas por bloco de Bitcoin caírem para zero - dado que apenas um número limitado de novos Bitcoins será criado - as taxas de transação por si só não serão capazes de sustentar as despesas da mineração. O argumento implica que a rede Bitcoin se tornaria tão lenta que seria praticamente inutilizável, afirmando:

"Cálculos simples sugerem que, uma vez que as recompensas por bloco sejam iguais a zero, pode levar meses até que um pagamento em Bitcoin seja finalizado, a menos que novas tecnologias sejam implantadas para acelerar a complementação do pagamento"

O estudo observa ainda que, enquanto soluções de segunda camada como a Rede Lightning poderiam ajudar, “o único remédio fundamental seria abandonar a prova de trabalho”. Tal medida, de acordo com o relatório, “provavelmente exigiria alguma forma de coordenação social ou institucionalização”.

A conclusão geral do documento é de que, de acordo com os pesquisadores, “também na era digital, é provável que o bom e velho dinheiro permaneça como uma construção social e não algo puramente tecnológico”.

O BIS, que tem sede na Suíça, é uma organização composta por 60 bancos centrais, que supostamente respondem por 95% do PIB global.

Como a Cointelegraph informou recentemente, outro relatório do BIS publicado em 8 de janeiro reportou que setenta por cento dos bancos centrais em todo o mundo estão realizando pesquisas sobre a emissão de moeda digital de banco central.

Outro relatório publicado pelo BIS em setembro do ano passado encontrou forte correlação entre preços de criptomoeda e notícias de intervenção regulatória ao redor do mundo.