Regulador Financeiro de Luxemburgo: suposta empresa de criptomoedas mentiu sobre licensa

O regulador financeiro do Luxemburgo, a Comissão de Vigilância do Sector Financeiro (CSSF), diz que uma entidade aparentemente relacionada com a criptomoedas chamada Cryptominingoptionsignal afirma ser licenciada no Luxemburgo, mas não é.

m uma nota de aviso datada de 13 de agosto, o regulador do país escreveu: 

“A Comissão de Fiscalização do Sector Financeiro (CSSF) alerta o público sobre as atividades de uma entidade denominada Cryptominingoptionsignal [...] A CSSF informa o público de que a empresa de criptomoedas é desconhecido e que a entidade não obteve qualquer autorização para fornecer serviços de investimento ou outros serviços financeiros no ou a partir do Luxemburgo. ”

Inovação no Luxemburgo

Como relatado anteriormente pela Cointelegraph, a firma de securitização Argento, sediada em Luxemburgo, formou uma parceria com a London Block Exchange para emitir em conjunto um título denominado Bitcoin ( BTC ), que é regulado pela agência de finanças do Reino Unido - Financial Conduct Authority (FCA). O gerente do Argento, Phil Millo, comentou:

“Estamos entusiasmados por termos estruturado e produzido o primeiro produto financeiro denominado em bitcoins de nível institucional do mundo [...] Os grandes bancos de investimento realmente deixaram passar esta oportunidade”.

Outro golpe, outro relatório de vigilância

No final de julho, a FCA relatou mais um projeto de fraude. Aparentemente, uma carta intitulada "A chance garantida de ganhar" tem circulado via e-mail, com os remetentes representando a FCA como o autor do documento.

O e-mail continha uma promoção para investimentos em criptomoedas e instruiu os leitores a seguir um link para um site externo. A FCA disse que não está por trás dos e-mails e avisou ao público que isso era muito provavelmente uma campanha fraudulenta:

"A correspondência provavelmente está vinculada à fraude organizada e recomendamos que você não responda aos criminosos de forma alguma. Procure sinais de que o e-mail, a carta ou o telefonema não sejam de nossa parte, como listar um celular ou número de telefone de contato no exterior, um endereço de e-mail de uma conta do hotmail ou gmail ou um número de caixa postal estrangeira. ”