Bancos centrais do Afeganistão e Tunísia consideram emitir bonds de Bitcoins

Os bancos centrais do Afeganistão e da Tunísia querem emitir bonds (títulos de dívida) de Bitcoin (BTC), segundo informações divulgadas na última quarta-feira, 17 de abril, pelo jornal de Hong Kong Asia Times.

Segundo o relatório, os presidentes dos bancos centrais dos dois países falaram no Spring Meetings dos Conselhos de Presidentes do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional em Washington entre 8 e 14 de abril. O presidente do banco central do Afeganistão, Khalil Sediq, teria dito ao Asia Times que a instituição está pensando em emitir um bond de criptomoeda soberano para arrecadar US$ 5,8 bilhões.

Os fundos seriam usados para investimentos do setor privado em mineração, energia e agricultura. Juntamente com o Bitcoin, Sediq teria mencionado futures de metais (por exemplo, o lítio) e apontou que as reservas minerais do país são estimadas em mais de US$ 3 trilhões.

Por outro lado, Marouane El Abassi, presidente do banco central da Tunísia e ex-funcionário do Banco Mundial, declarou que a instituição está investigando a emissão de um bond de Bitcoin. Segundo o relatório, Abassi também afirmou que o país foi um dos primeiros a emitir uma moeda digital e já implementou pagamentos através de um sistema digital.

Além disso, Abassi também teria elogiado o Bitcoin, a blockchain e o Hyperledger como uma ferramenta para os bancos centrais combaterem a lavagem de dinheiro, administrarem remessas, combaterem o terrorismo e limitarem as economias cinzentas. Por fim, a reportagem também observa que o embaixador do Uzbequistão, Javlon Vakhabov, mencionou que o país também não descarta o desenvolvimento de um bonde de Bitcoin.

Conforme informado pelo Cointelegraph em setembro do ano passado, o governo da Áustria também lançou € 1,15 bilhão (US$ 1,35 bilhão) de bonds do governo na blockchain pública do Ethereum (ETH).

Mais recentemente, em março, os ministérios da justiça e das finanças da Alemanha propuseram lançar um registro estatal para impulsionar o uso da blockchain em bonds eletrônicos.