Maior estado da Índia faz um piloto para negociação de energia solar baseada em blockchain

O estado indiano de Uttar Pradesh (UP) vai pilotar um projeto de comércio de energia solar ponto a ponto (P2P) em parceria com a empresa de energia blockchain australiana Power Ledger.

A estatal UP Power Corporation Limited e a UP New and Renewable Energy Agency, firmaram parceria com a Power Ledger para lançar um piloto do comércio de energia solar P2P para examinar sua praticabilidade, de acordo com um comunicado de imprensa de 28 de novembro. A primeira fase do projeto está prevista para ser concluída em março de 2020.

Durante o teste, a Power Ledger integrará sua plataforma baseada em blockchain, com sistemas de medidores inteligentes, para permitir que os residentes com infraestrutura solar na cobertura estabeleçam preços, acompanhem o comércio de energia e liquidem transações de energia solar excedentes por meio de contratos inteligentes.

Um dos principais problemas que as fontes de energia renováveis ​​enfrentam é o armazenamento de energia excedente. Como tal, o projeto visa facilitar para os pequenos produtores encontrar usuários de energia excedente e tornar as fontes renováveis ​​mais viáveis.

Após a conclusão do piloto, a Power Ledger examinará os resultados e trabalhará com o governo local para adaptar as regulamentações que possibilitam ainda mais o comércio de energia P2P.

A capacidade solar fotovoltaica em Uttar Pradesh - o maior estado da Índia com uma população de quase 200 milhões de habitantes - deve se expandir para atender às crescentes demandas de energia. Em 2017, o estado possuía 12.500 megawatts de capacidade de geração de energia fotovoltaica.

Abordagem do futuro da blockchain na Índia

A Power Ledger já trabalhou anteriormente no comércio de energia renovável P2P na Índia. No início deste mês, a empresa anunciou que concluiu um teste na região de Dwarka, no sudoeste de Delhi. Semelhante ao projeto piloto em Uttar Pradesh, o teste em Dwarka teve como objetivo dar aos participantes acesso a energia mais barata e renovável e permitir que os proprietários de infraestrutura solar monetizassem sua energia excedente.

A Índia provou ser uma jurisdição com uma abordagem proativa em relação à adoção da blockchain. Em 27 de novembro, o Ministério da Eletrônica e Tecnologia da Informação da Índia disse que reconhece o potencial da tecnologia blockchain e a necessidade do desenvolvimento de uma infraestrutura compartilhada para realizar casos de uso relacionados. O Ministério acrescentou que está trabalhando em uma "Estrutura Nacional de Blockchain".