Famoso crítico das criptomoedas será presidente de comitê de proteção de investidores do Congresso dos EUA

O congressista anti-cripto dos Estados Unidos Brad Sherman (D-CA) foi eleito para servir como presidente do Subcomitê de Proteção ao Investidor, Empreendedorismo e Mercado de Capitais.

Em 5 de dezembro, a presidente do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara, Maxine Waters (D-CA), anunciou que Sherman foi eleito para assumir o cargo de presidente do subcomitê que supervisiona a Comissão de Valores Mobiliários (SEC), a Bolsa de Valores de Nova York e a Autoridade Reguladora do Setor Financeiro.

Sherman vs cripto e (talvez) a internet

Sherman, que é um político americano que atua como membro democrata da Câmara dos Deputados dos EUA desde 1997, é conhecido por ser um crítico ferrenho do Bitcoin e das criptomoedas em geral.

Um congressista pró-cripto e colega de Sherman no comitê de serviços financeiros, Warren Davidson (R-OH), disse recentemente ao Cointelegraph que Sherman realmente não gosta de nada no espaço de criptomoedas. Davidson continuou dizendo:

"Na minha opinião, o objetivo [de Sherman] é essencialmente tentar banir a Internet. Ele é do tipo 'vamos proibir criptografia, precisamos proibir criptografia, a única razão para ter algum ativo criptográfico é lavar dinheiro e evitar impostos. Volte, rebobine a fita. Toda audiência sobre criptografia é Brad Sherman. Ele não gosta do espaço. "

Sherman manifestou oposição a qualquer moeda que desafie o papel do dólar americano como moeda de reserva global. Ele continua a defender uma proibição total da criptomoeda. Essa postura negativa e franca em relação às criptomoedas rendeu-lhe algumas críticas do entusiasta do Bitcoin Max Keiser, que disse que Sherman está provocando, mas tem suas fraquezas, acrescentando:

"Ele não aceitou exatamente qual será a dimensão dessa batalha [...] Ele não entende que já está perdido."

A criptografia pode "deslocar ou interferir no dólar"

Em outubro, Sherman parecia dar um peso improvável à ideia de que um instrumento financeiro disruptivo, como as criptomoedas, pode conseguir tirar o poder do dólar. Ele diz:

"A criptomoeda não funciona, tem casos em que os investidores perdem muito dinheiro, ou podem alcançar seus objetivos e desestabilizar ou interferir no dólar sendo praticamente a única moeda de reserva do mundo".