Em nova decisão Justiça determina que NegocieCoins tem 24h para efetivar saque de cliente sob pena de multa de R$ 1 mil por dia

Justiça do Estado do Mato Grosso, determinou que a NegocieCoins, empresa do Grupo Bitcoin Banco, tem 24h, após citação, para completar o depósito de criptomoedas e reais de um usuário da plataforma. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado do Mato Grosso, hoje, 06 de junho.

Para atender a decisão judicial a exchange terá que transferia 1 Bitcoin e R$ 10 mil reais. Ainda segundo a publicação caso não cumpra a determinação judicial, esta sujeita a multa diária de R$ 1 mil reias. O processo de "indenização por danos materiais e morais" foi aberto por Alexandre Willian de Andrade que alega ter efetuado a solicitação de saque no dia 31 de maio e mesmo após as 48 horas determinadas pela plataforma como prazo máximo, não logrou exito na solicitação. 

"Isto posto, defiro a tutela de urgência e determino que a requerida conclua a operação solicitada pelo autor, qual seja: o saque de R$ 10.000,00 (dez mil reais) para o Banco Sicredi e 01 (um) bitcoin da conta da requerida para outra Exchange denominada BINANCE, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, demonstrando o cumprimento da obrigação nos autos, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 (mil reais), até o limite de alçada do Juizado Especial", diz a decisão.

Em nota oficial compartilhada com o Cointelegraph o GBB destacou que:

O Grupo Bitcoin Banco respeita a liberdade assegurada constitucionalmente aos indivíduos que procuram resolver seus conflitos pelo Poder Judiciário. Ressaltamos que o GBB nunca negou atendimento a seus usuários, priorizando sempre o bom relacionamento. Mesmo diante dos ataques lançados contra a plataforma, a equipe primou pela excelência no atendimento e pela resolução de conflitos. A direção do GBB também tem estado sempre à disposição para atender seus clientes e promover solução a todas as situações levantadas por aqueles que nele confiam seus investimentos. Além disso, o GBB já está atuando fortemente para solucionar a questão levada a juízo, e não medirá esforços para corrigir qualquer equívoco que eventualmente tenha sido vivido pelo cliente. 
 

O Cointelegraph reportou no dia 05 de junho que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo determinou o bloqueio de R$ 726.630,27 em contas bancárias ligadas ao Grupo Bitcoin Banco. A decisão foi publicada no dia 05 de junho, no Diário Oficial do Estado de São Paulo. A decisão é de 1ª instância e cabe recurso. Em nota enviada sobre o bloqueio das contas o GBB destacou que:

"nunca negou atendimento a seus usuários, priorizando sempre o bom relacionamento. Mesmo diante dos ataques lançados contra a plataforma, a equipe primou pela excelência no atendimento e pela resolução de conflitos. A direção do GBB também tem estado sempre à disposição para atender seus clientes e promover solução a todas as situações levantadas por aqueles que nele confiam seus investimentos. Além disso, o GBB já está atuando fortemente para solucionar a questão levada a juízo, e não medirá esforços para corrigir qualquer equívoco que eventualmente tenha sido vivido pelo cliente"

De acordo com o GBB, valendo-se de uma brecha na plataforma das exchanges, um suposto grupo de clientes duplicou os saldos de suas contas e efetuou saques indevidos, de dinheiro que não existia, num golpe que pode alcançar os R$ 50 milhões. Até o momento, mais de 3 milhões de registros sobre operações de compra e venda de criptomoedas foram analisados.

Cerca de 19.896 transações suspeitas de fraude foram indificadas. Como consequência da investigação, às 16h de segunda-feira (3) foram bloqueadas 2.568 contas suspeitas e os CPFs  correspondentes a essas contas foram informados à Delegacia em que corre o inquérito, assim como todas as demais informações apuradas.

empresa destacou que por conta da investigação saques na plataforma estão apresentando lentidão, mas reforçou que a equipe está empenhada em fazer o maior número possível de pagamentos por dia no entanto esbarra em limitações bancárias.