Ministro das Finanças do Japão pede que repórteres adotem novo termo legal 'Ativos Cripto'

Ministro das Finanças e vice-premiê do Japão, Taro Aso pediu aos repórteres que parem de usar o termo "moedas virtuais" e mudem para o recém-proposto novo termo "ativos cripto".

Aso - que também atua como Ministro de Estado dos Serviços Financeiros do país - teceu esses comentários durante uma sessão de perguntas e respostas com foco em cripto em uma coletiva de imprensa após uma reunião de gabinete do governo. A transcrição completa da sessão de perguntas e respostas de 26 de março foi publicada pela Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA, na sigla em inglês) em 26 de abril, juntamente com uma provisional tradução para o inglês.

Como o Cointelegraph Japão informa nesta quinta-feira, a insistência do ministro no uso do novo termo vem após a aprovação do gabinete japonês de emendas aos instrumentos financeiros do Japão e leis de serviços de pagamento, que em março estabeleceram uma mudança legal para criptomoedas como “ativos cripto”. anteriormente designados no país como "moedas virtuais".

Como observa o Cointelegraph Japão, a FSA, no entanto, enfatizou que a nova definição é apenas uma mudança do nome legal e que o uso do termo não é obrigatório pelos integrantes do setor.

As perguntas e respostas de Aso também abordaram os mais recentes desdobramentos no processo de revisão da FSA e o registro oficial de novos corretores e corretoras de ativos cripto, que foram revisados ​​à luz das inspeções do vigilante local às empresas do setor.

Conforme ressaltou o ministro Aso durante a sessão de perguntas e respostas, a FSA adotou uma forte indicação de hacks de exchange cripto de alto perfil no Japão e, assim, endureceu seu monitoramento do setor. Ele afirmou:

“Embora eu pense que a blockchain é uma tecnologia promissora, levará algum tempo até que ela esteja firmemente estabelecida. Uma variedade de pessoas se envolverá com isso, nem todas bem-intencionadas, portanto, alguns poderiam abusar dessa tecnologia. Para proteger os investidores, é essencial que realizemos uma revisão adequada e rigorosa.”

Aso observou que dois novos corretores de ativos cripto foram registrados nesta semana pela FSA, a Rakuten Wallet e a Decurret - esta última conta com um ex-vice-ministro administrativo do Ministério das Finanças do Japão como um de seus diretores.

Como o Cointelegraph relatou anteriormente, a proposta da FSA para uma redefinição de moedas virtuais para ativos cripto foi apresentada como uma medida que poderia ajudar a garantir que “os comerciantes não mais comprem eles acreditando que eles são legalmente reconhecidos pelo governo”.

Juntamente com a redefinição, as recentes emendas aos instrumentos financeiros do Japão e às leis de serviços de pagamento incluíam limitar a alavancagem na negociação de margem cripto em duas a quatro vezes o depósito inicial, entre outras novas regras. As mudanças estão previstas para entrar em vigor em abril de 2020.