Veja quanto Bitcoin está preso em sidechains no momento

Atualmente, quase US$ 77 milhões em Bitcoin (BTC) não estão disponíveis para uso na rede - não porque foram perdidos, mas porque estão presos em sidechains (cadeias laterais).

Sidechains do Bitcoin: um mercado nascente

Os dados dos exploradores de blocos confirmam que, em 17 de outubro, um total de 9.661 BTC (US$ 76,96 milhões) ou um pequeno valor de 0,054% da oferta atual de Bitcoin reside em três grandes projetos de sidechains.

Sidechains são cadeias de blocos separadas vinculadas à blockchains regular atreladas a uma criptomoeda, ou seja, a mainchain.

Os usuários podem interagir com ela através de um mecanismo de vinculação; eles enviam fundos para e da sidechain, com recursos de segurança para garantir que as moedas não estejam disponíveis nas duas cadeias ao mesmo tempo.

Sidechains existem há vários anos e têm várias funções, dependendo dos objetivos dos desenvolvedores.

A Liquid Sidechain, da Blockstream, ou LBTC, por exemplo, concentra-se na operabilidade entre exchsngrs e oferece aos traders recursos avançados ainda não disponíveis no Bitcoin.

Binance Chain lidera saldos

A Liquid, lançada em outubro de 2018, atualmente inclui modestos 89 BTC (US$ 709.700). Esse número é menor do que a maior sidechain, a Binance Chain, que possui 9.001 BTC (US$ 71,74 milhões).

Até a sidechain Wrapped Bitcoin (WBTC), que é de fato um token padrão ERC-20 baseado em Ethereum, tem 571 BTC (US$ 4,55 milhões) - mais que a Liquid.

A WBTC foi lançada em janeiro deste ano, enquanto a Binance Chain - projeto interno da exchange de criptomoedas Binance - teve sua mainnet revelada em abril.

Nesta semana, o provedor de carteira Blockchain e o gerenciador de ativos digitais CoinShares lançaram uma sidechain própria do Bitcoin na forma de uma rede de token apoiada pelo ouro.