Hackers pedindo Bitcoin levam Prefeitura de Barrinha (SP) a pagar mais de mil servidores manualmente

A invasão de hackers pedindo Bitcoins para liberar os sistemas da Prefeitura de Barrinha, no interior de São Paulo, no dia 28 de outubro e até hoje sem solução, levou a um grande transtorno na última semana: a prefeitura teve de pagar mais de 1.000 servidores municipais de forma manual. A notícia é do Canal Tech.

O ataque cracker ao sistema bloqueou acesso a 20 computadores com dados administrativos, financeiros e contábeis da prefeitura, usando criptografia e exigindo resgate em Bitcoin.

Por isso, o pagamento dos funcionários, antes previsto para 30 de outubro, demorou quase duas semanas. Mais de 1.000 servidores foram afetados, com a Secretaria de Recursos Humanos tendo de recorrer a organização manual de dados e envio aos bancos para a realização dos depósitos.

O caso é investigado pela Polícia Federal como crime de extorsão, e uma das linhas de investigação analisa um e-mail dos hackers pedindo R$ 7.000 em BTC.

Duas semanas depois, o caso da Prefeitura de Barrinha não é a única invasão de hackers a sistemas de dados pedindo Bitcoin em andamento no Brasil.

Como noticiou o Cointelegraph Brasil, o Porto de Fortaleza também segue com suas operações afetadas por hackers que invadiram os sistemas da Companhia de Docas do Ceará (CDC).