Sinal verde para os criptos: o mercado se recupera

Pela enésima vez, o Bitcoin foi declarado morto nesta semana, pois o mercado de criptomoedas passou por um grande mergulho no valor. O Bitcoin mergulhou abaixo dos US$10.000 enquanto outros seguiam o mesmo com quedas ainda maiores graças o pânico que se espalhou a respeito de uma possível explosão da bolha.

No entanto, os gráficos negativos se tornaram em positivos, já que a maioria dos números voltou para o azul para as principais moedas. O mercado de criptomoedas, tem estado em queda desde que o Bitcoin atingiu a marca dos US$20.000, mas esse recente colapso inflamou o medo e o pânico.

Banho de sangue por todo o quadro

À medida que o cenário avança, a maré crescente eleva todos os barcos e, vice-e-versa, o mesmo acontece quando a maré baixar. Em outras palavras, quando o Bitcoin está em alta, muitas moedas o seguem, ou o oposto, como aconteceu na última semana, o cripto-mercado inteiro teve queda, enquanto o Bitcoin liderava o caminho na perda de valor.

Na verdade, a maioria dos 10 principais criptomoedas, e as mais conhecidas caíram ainda mais do que o Bitcoin, não deixando opção para os investidores das cripto-moedas.

Houve uma grande saída de dinheiro do mercado de criptomoedas nos últimos dias, com o limite global da capitalização do mercado de criptomoedas que caiu de mais de US$700 bilhões para US$400 bilhões.

No fim o Bitcoin caiu - de cerca de US$14.000 para pouco menos de US$10.000 equivalentes a um balanço de 30 por cento, o que, olhando para trás na história é relativamente normal e esperado.

O Bitcoin enfrentou três quedas parecidas, se não ainda maiores em 2017:

Tecnologia disruptiva

Saltando de volta

Embora não estivesse fora da floresta ainda, o mercado de criptomoedas definitivamente parecia muito mais otimista, já que o piso parecia ter chegado no limite da queda e os números voltando para o azul estavam mostrando uma virada no jogo.

O raciocínio por trás da quebra mais recente pode, em grande parte, ser reduzido à confusão que foi proveniente da Coréia em supostos planos de proibição de criptomoedas no crescente mercado asiático.

Os cidadãos do país falaram recentemente sobre esses rumores, tornando sua posição conhecida com uma petição contendo 200 mil assinaturas, exigindo que o governo responda.

Gráfico