A Coréia do Sul esclarece sua posição em relação aos criptos em meio a confusão da grande mídia

Regulamentos mais rígidos para a indústria do comércio de criptomoeda da Coreia do Sul foram anunciados no domingo, 14 de janeiro, em meio à confusão contínua na grande mídia sobre uma proposta de proibição do comércio de criptomoeda pelo ministro da Justiça do país na semana passada.

Relatos da agência de notícias local Yonhap afirmaram no domingo, 14 de janeiro, que requerirão que os comerciantes coreanos usem seus nomes reais para contas de criptomoedas, um potencial regulamento relatado no início de janeiro, realmente entrará em vigor até o final deste mês, citando "as autoridades”.

O Yonhap relata que multas também serão impostas para aqueles que não cumprirem os novos regulamentos, embora o montante da multa ainda não teria sido determinado.

O Yonhap cita a declaração de hoje do governo que diz:

"O proposto fechamento das casas de câmbio que o ministro da Justiça mencionou recentemente é uma das medidas sugeridas pelo Ministério da Justiça para conter especulações.

Uma decisão governamental será tomada no futuro após consulta e coordenação suficientes de opiniões".

A publicação adicionou:

"O anúncio desta segunda-feira sugere que um fechamento não é provável no futuro próximo".

O cenário regulatório turbulento na Coreia do Sul resultou em informações fragmentadas aparecendo diariamente sobre a forma como a criptomoeda será tomada em última instância na jurisdição de Seul.

Nas últimas notícias na segunda-feira, 15 de janeiro, foi divulgada uma declaração oficial do Escritório de Coordenação de Políticas Governamentais afirmando que a proibição da criptomoeda não está em andamento e que o governo ainda não chegou a uma decisão final.

Confusões na grande mídia

Em 11 de janeiro, o ministro da Justiça, Park Sang-ki, propôs proibir o comércio de criptomoeda em uma coletiva de imprensa. A subsequente interpretação errada de seus comentários na grande mídia causou confusão nas redes sociais, que foi repetidamente corrigida por correspondentes locais e negociantes no Twitter.

No entanto, o FUD - Medo, Incerteza e Dúvida, na aigla em inglês - causado pelos comentários do Ministro e as informações enganosas sobre eles, evidentemente, levaram a uma liquidação de criptomoeda no mesmo dia.

O sentimento público no terreno sugere um consenso genuíno para manter o comércio aberto e acessível, com a petição da semana passada para rejeitar a proibição do comércio de criptografia, reunindo mais de 150 000 assinaturas até o momento deste texto. Se a petição chegar a 200 mil assinaturas até 27 de janeiro, isso obrigará uma resposta do governo, informa o Wall Street Journal.


Siga-nos no Facebook