Grayscale registra pedido para tornar-se primeiro fundo de Bitcoin subordinado à SEC dos EUA

O fundo de Bitcoin (BTC) negociado publicamente Grayscale Bitcoin Trust (GBTC) protocolou o Formulário 10 junto à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) para tornar-de o primeiro fundo de criptomoeda a se reportar ao regulador.

A Grayscale anunciou em um post publicado em seu blog em 19 de novembro que, se o pedido for considerado efetivo pela SEC, vários aspectos das operações do fundo poderão mudar.

Em caso de aprovação

A empresa diz que, se a reguladora considerar efetivo o pedido, a estrutura do trust permanecerá a mesma e ele não será adicionado a uma bolsa de valores nacional. No entanto, haverá algumas alterações no escopo e nas operações da Grayscale.

Caso a SEC aceite o registro da Grayscale, designaria o fundo como uma empresa subordinada à SEC e obrigaria-a a registrar suas ações de acordo com a Lei de Câmbio (Exchange Act). Além disso, como muitas instituições impedem os investidores de trusts com base na aprovação da SEC, o público qualificado dos investidores da Grayscale pode aumentar. Os padrões de auditoria da SEC também seriam aplicados à Grayscale.

A empresa também observou que os investidores credenciados serão beneficiados se o pedido for aprovado:

"Os investidores credenciados que compraram ações anteriormente na colocação privada do Trust teriam uma oportunidade de liquidez anterior, pois o período legal de posse de suas ações de colocação privada seria reduzido de 12 para 6 meses".

O Grayscale não é o único fundo que busca dar aos investidores exposição mais direta ao Bitcoin. Como o Cointelegraph publicou em setembro, a empresa de gerenciamento de investimentos VanEck também lançou seu próprio Bitcoin trust e emitiu apenas quatro Bitcoins durante a primeira semana de operação.

Grayscale vê receita recorde

A incursão regulatória da Grayscale segue um ano recorde para o trust, que registrou entradas de US$ 254 milhões em investimento total em seus produtos no terceiro trimestre de 2019. O terceiro trimestre de 2019 marcou a maior demanda pelas ofertas da empresa desde a sua criação, conseguindo no terceiro trimestre um aumento de US$ 84,8 milhões com relação ao segundo trimestre de 2019.