Gab procura o aplicativo Cash da Square depois que a Coinbase alegadamente congelou sua conta

O controverso site de rede social Gab já está usando o app Cash da empresa de pagamentos dos EUA Square para realizar transações e receber doações em Bitcoin (BTC). O Twitter oficial da empresa postou o anúncio em 6 de janeiro.

Fundado em 2016, o Gab é uma rede social que se apresenta como um paraíso para a fala on-line sem censura. Ele ganhou notoriedade devido a uma percepção de que ele serve como uma “câmara de eco” para visões “extremistas”, de extrema-direita - muitos de cujos proponentes foram supostamente banidos de redes como Twitter e Facebook com base em suas alegadas violações das regras dessas plataformas sobre discurso de ódio.

Em termos mais gerais, o Gab almeja uma base de usuários de inclinações libertárias, nacionalistas, populistas ou conservadoras - ou qualquer um que discorde das medidas de filtragem de conteúdo, ant-desinformação e coleta de dados impostas pelas plataformas mainstream, ou “Big Tech”. particularmente proibida pelas lojas da Apple e da Google.

O Gab foi particularmente investigado no outono de 2018 depois que foi relatado que o autor do tiroteio em uma sinagoga de Pittsburgh, Robert Gregory Bowers, havia postado no Gab indicando sua intenção imediata de fazer o mal antes do crime. Processadores de pagamento da fiduciário como PayPal e Stripe, subsequentemente suspenderam seus serviços para a empresa.

Em dezembro, foi relatado que a conta corporativa do Gab no principal fornecedor de serviços de exchange de moedas e carteira Coinbase, havia sido fechada, com relatos da mídia na época citando a reputação contenciosa da plataforma como possíveis motivos para o fechamento.

No início deste mês, a conta pessoal da Coinbase do cofundador do Gab, Andrew Torba, também foi supostamente encerrada, levando a empresa a tuítar seu apoio às exchanges descentralizadas como o único meio de proteger o dinheiro resistente à censura.

O Gab usou várias vezes seu Twitter para defender a criptomoeda como a rota para "a liberdade dos bancos centrais, a censura financeira e um sistema financeiro manipulado", apresentando seu apoio à inovação cripto como um dos três pilares da empresa - sendo estes de um maximalismo sem remorso. em relação à liberdade de expressão, Bitcoin e liberdade.

Um tuíte separado do Gab, no entanto, implicou que a descentralização deveria às vezes ser sacrificada para permitir um certo grau de censura, especificamente no que diz respeito à pornografia infantil.

Como publicado anteriormente, a Coinbase também fechou a conta da loja mercantil da publicação anônima internacional sem fins lucrativos WikiLeaks em abril, supostamente devido a uma violação dos termos de serviço.

O WikiLeaks havia apelado publicamente aos doadores para que contribuíssem em suas atividades de denúncia usando criptomoedas, a fim de contornar as tentativas dos governos de exercer um controle financeiro sobre o empreendimento.