WikiLeaks reporta suspensão da Coinbase devido a violação dos Termos de Serviço

WikiLeaks Shop, o braço de mercadorias da publicação internacional anônima sem fins lucrativos WikiLeaks, informou no Twitter sexta-feira, 20 de abril, que sua conta com carteira de criptomoedas e negociações da Coinbase foi bloqueada.

ANUNCIO: A Coinbase bloqueou a loja oficial do @WikiLeaks de sua plataforma sem aviso ou explicação. Você pode continuar doando #Bitcoin para o WikiLeaks em https://t.co/lvhoyhlqUa

O tweet do WikiLeaks Shop contém uma captura de tela de um suposto e-mail da Coinbase que afirma que a organização violou seus Termos de Serviço e, portanto, “não pode mais receber acesso ao [seu] serviço”. A Coinbase não respondeu a pedidos de comentários sobre os detalhes de Violação da WikiLeaks Shop até o momento.

Todos os lucros da loja vão para as operações do WikiLeaks, e os clientes podem pagar em Bitcoin, Litecoin, Bitcoin Cash, Dash, Dogecoin, Ethereum, Neo, Namecoin, Vertcoin, Monero e ZCash através da Coinpayments.net.

O Twitter oficial do WikiLeaks postou uma chamada para um “bloqueio global” da Coinbase em resposta ao bloqueio:

O WikiLeaks pedirá um bloqueio global da Coinbase na semana que vem como um membro impróprio da comunidade de criptos. A Coinbase, um grande processador californiano de Bitcoin, que respondeu a uma influência oculta, bloqueou a totalmente inofensiva @WikiLeaksShop em uma decisão aprovada pela diretoria.

O defensor do Bitcoin (BTC) Andreas M. Antonopoulos twittou que a Coinbase tem “história repetida”, já que o Bitcoin tem desempenhado um papel importante para o WikiLeaks desde o tempo em que o non-profit era legalmente incapaz de usar sistemas bancários tradicionais:

Nós temos um círculo completo. O interesse de muitas pessoas pelo bitcoin começou quando Wikileaks saiu sob um embargo judicial extra por VISA, MC, PayPal e bancos. Agora Coinbase tem história repetida.

No outono passado, o líder do WikiLeaks, Julian Assange, agradeceu publicamente o governo dos EUA no Twitter por forçar a organização a confiar no Bitcoin devido ao embargo bancário, dando ao WikiLeaks um retorno de 50.000%. Assange também pediu que os doadores do WikiLeaks usem criptomoedas para suas doações como forma de evitar esse bloqueio financeiro. O site WikiLeaks aceita Bitcoin, Litecoin, Monero e ZCash para doações.

Antonopoulos acrescentou em um comentário ao seu tweet que este embargo da Coinbase é diferente do primeiro em que é “puramente simbólico”, já que existem outras carteiras de criptomoedas por aí, mas que o “simbolismo é uma lembrança muito pungente do que centralização de operações bancárias e regulamentos significam”.