Ex-investidora processa OneCoin por esquema de pirâmide financeira e pede ação coletiva

A ex-investidora da OneCoin, Christine Grablis, está processando o esquema de investimento em criptomoedas por fraude, de acordo com uma queixa apresentada nesta terça-feira, 7 de maio.

Grablis está pedindo indenização e uma ação coletiva para representar outros investidores fraudados pela OneCoin.

A lista completa dos acusados no processo - Grablis v. OneCoin Ltd. - inclui a OneCoin Ltd, Ruja Ignatova, Konstantin Ignatov, Sebastian Greenwood e Mark Scott, juntamente com outras partes potenciais que ainda não foram nomeadas.

De acordo com uma reportagem da Bloomberg dessa terça-feira, 7 de maio, o fundador da OneCoin, Ruja Ignatova, foi acusado de fraude eletrônica, fraude de valores mobiliários e lavagem de dinheiro. Konstantin Ignatova, irmão mais novo de Ruja e suposto executivo da OneCoin, foi acusado de fraude eletrônica, fraude de valores mobiliários e lavagem de dinheiro em março.

Conforme observado na queixa coletiva, Greenwood é o cofundador e a “cara pública” da OneCoin. Scott, por sua vez, é citado como um advogado licenciado, acusado de usar seu conhecimento legal para ajudar a empresa a lavar dinheiro via fundos hedge.

A Silver Miller, uma firma de advocacia especializada em representar investidores em criptomoedas, emitiu um comunicado instruindo os investidores potencialmente afetados sobre como podem participar da ação coletiva.

Como informado anteriormente pelo Cointelegraph, a OneCoin era um esquema pirâmide global que usava táticas específicas para manter um ar de legitimidade. O golpe usava um esquema de marketing multinível para vender materiais educacionais para negociação que vinham com tokens que poderiam ser usados para minerar onecoins.