Ex-executivo de Hollywood admite ter desviado US$ 22 milhões para usar com criptomoedas e apostas

Um ex-executivo de uma empresa de marketing digital de Hollywood admitiu desviar US$ 22 milhões de seu empregador para comprar moedas digitais.

A Procuradoria do Distrito Central da Califórnia, Estados Unidos, anunciou em 22 de novembro, que Dennis Blieden declarou-se culpado de difamação e roubo de identidade. Blieden desviou mais de US$ 22 milhões de seu empregador e usou os fundos roubados para comprar criptomoedas, gastar em apostas e cobrir despesas pessoais.

Abuso de autoridade

Na época, Blieden atuava na StyleHaul Inc., uma agência de marketing digital que representa “influenciadores” de mídias digitais, ocupando o cargo de controlador e vice-presidente de contabilidade e finanças. A posição de Blieden deu-lhe acesso e controle sobre as contas bancárias da empresa.

Ao longo de quatro anos - de outubro de 2015 a março de 2019 - Blieden roubou US$ 1,2 milhão para emitir cheques pessoais para jogadores de poker, US$ 1,1 milhão para pagar seus cartões de crédito e US$ 8,4 milhões foram transferidos para suas contas de criptomoedas. O comunicado explica ainda:

“Para ocultar seu esquema, Blieden fez entradas fraudulentas nos registros contábeis da StyleHaul, que diziam falsamente que as transferências bancárias ilegais feitas a ele seriam pagamentos autorizados em dinheiro devido a clientes da StyleHaul. Blieden também indicou falsamente em uma das contas bancárias da StyleHaul que transferências bancárias para a conta bancária pessoal de Blieden eram pagamento de "dividendos" que a empresa lhe devia. [...] Blieden criou cartas fictícias de transferência eletrônica que supostamente seriam da Western Union e foram projetadas para fazer parecer que ele havia feito transferências eletrônicas da StyleHaul para pagar uma suposta dívida de clientes.”

Blieden agora pode pegar pena máxima de 22 anos em prisão federal.

Esquemas recentes de crimes relacionados a criptomoedas

No início de novembro, o Tribunal Distrital do Sul de Nova York decidiu a favor do governo dos EUA para intervir em um caso civil contra Jon Barry Thompson. Thompson, morador de Easton, Pensilvânia, é acusado de "conscientemente ou imprudentemente fazer falsas representações para clientes em conexão com a suposta compra de Bitcoins (BTC) no valor de mais de US$ 7 milhões".

No mês passado, o CEO da empresa de blockchain Veritaseum LLC, registrada em Delaware, e da Veritaseum Inc., registrada em Nova York, Reggie Middleton, recebeu ordem de pagar US$ 8,4 milhões em ressarcimento em um caso de fraude de valores mobiliários.