Relatório: Cinco países da União Européia se unem para bloquear o Libra

Segundo informações, cinco países membros da União Européia se uniram para impedir a emissão do Libra, stablecoin do Facebook.

Reuniões privadas para tornar a UE contra Libra

Após uma série de reuniões privadas em outubro, a França lidera o esforço conta o Libra, junto com Alemanha, Itália, Espanha e Holanda, informou o Politico Europe em 30 de outubro.

Citando fontes familiarizadas com o assunto, o Politico afirma que os vice-ministros das Finanças, apresentaram sua posição unificada, em 28 de outubro, contra o Libra, a outros ministros da UE, em uma reunião privada, em Bruxelas.

Segundo o relatório, o grupo pretende impedir o lançamento do Libra na Europa, além de aumentar a pressão sobre o Facebook e outros membros da Libra Association para desistir do projeto. Diplomatas da zona do euro e funcionários da Comissão Européia (CE), confirmaram ao Politico que a coalizão está incentivando os governos da UE a considerar proibir completamente o Libra.

A Comissão Europeia não pode proibir o Libra sem uma razão legal

No entanto, uma proibição completa do Libra pode ser problemática para a Comissão, disseram as autoridades. Segundo o Politico, tal ação exigiria que Bruxelas forneça uma razão legal para proibir a iniciativa, além de mais detalhes sobre quais regras devem ser aplicadas.

Além disso, os funcionários da CE também pediram mais cautela contra medidas rigorosas em relação ao Libra, levantando preocupações sobre seu impacto negativo no desenvolvimento de novos produtos e serviços baseados em tecnologia na União Europeia.

De acordo com o Politico, os funcionários estão trabalhando em uma declaração que será lançada em dezembro, na qual afirmam que o Facebook não deve ser autorizado a lançar o Libra, a menos que a UE possa regulamentá-lo. França, Alemanha e Itália já haviam sugerido na reunião do G7, em outubro, a idéia de banir o Libra, depois que os ministros das Finanças discutiram os riscos associados às stablecoins, observa o relatório.

Em 22 de outubro, o CEO do ING, Ralph Hamers, argumentou que os bancos poderiam parar de fornecer serviços ao Facebook se a empresa lançar o Libra. Anteriormente, o banco central do Reino Unido revelou um conjunto de regras que o Libra deve cumprir para ser utilizado no país.