Relatório: G-7 diz que 'Stablecoins globais' representam ameaça à estabilidade financeira

O grupo de nações do G-7 elaborou um relatório que diz que as "stablecoins globais" representam uma ameaça ao sistema financeiro global.

De acordo com a BBC em 13 de outubro, um relatório preliminar do G-7  delineou  os vários riscos associados às moedas digitais. Ele também afirmou que, mesmo que as firmas-membro da Associação Libra que governam abordem questões regulatórias, ela pode não obter a aprovação dos reguladores necessários, declarando:

"O G-7 acredita que nenhum projeto de stablecoin deve entrar em operação até que os desafios e riscos legais, regulatórios e de supervisão sejam tratados adequadamente. [...] Lidar com esses riscos não é necessariamente uma garantia de aprovação regulatória para um acordo de stablecoin".

O G-7 também afirma que as stablecoins globais com potencial de escalar rapidamente podem sufocar a concorrência e ameaçar a estabilidade financeira se os usuários perderem a confiança na moeda. 

O relatório será apresentado aos ministros das Finanças em uma reunião anual do Fundo Monetário Internacional nesta semana. 

Mais problemas para Libra?

A BBC afirma que, apesar de o relatório não destacar o projeto da stablecoin Libra proposto pelo Facebook, ele poderia significar mais problemas para o já proposto sistema de pagamentos.  

Os reguladores globais estão cada vez mais inclinados a dizer não ao projeto, com o Banco da Inglaterra estabelecendo recentemente disposições com as quais ele deve cumprir antes de poder ser emitido no Reino Unido.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, testemunhará perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados dos EUA sobre Libra no final deste mês. O chefe do comitê, representante democrata Maxine Waters, tem sido um crítico notável do projeto. No início deste ano, o comitê redigiu a lei "Mantenha a grande tecnologia fora das finanças".

Libra viu várias grandes empresas parceiras de seu consórcio governamental deixarem o projeto recentemente. Em 4 de outubro, a principal rede de pagamentos PayPal se retirou da organização e logo foi seguida por Visa, Mastercard, Stripe e eBay. 

Além disso, a Finco Services de Delaware  iniciou  uma ação contra o Facebook, alegando violação de marca registrada, concorrência desleal e "designação de origem falsa" em relação ao uso do logotipo Libra. O autor também está processando seu ex-designer, que trabalhou com o logotipo no Facebook, por reutilizar o design.