Visa, EBay, Stripe e Mastercard abandonam o projeto Libra do Facebook

Visa, EBay, Stripe e Mastercard anunciaram que estão deixando a Libra Association do Facebook e seu projeto de stablecoin associado.

Quatro empresas abandonam o barco

Em 11 de outubro, a Bloomberg informou que o Ebay, Stripe e Mastercard haviam decidido abandonar o projeto Libra do Facebook. Em questão de minutos, de acordo com o The Block, a Visa disse que também decidiu não ingressar na Libra Association.

A notícia surge uma semana depois que o processador de pagamentos PayPal anunciou sua saída do projeto Libra, à medida que os reguladores continuam examinando o projeto.

As empresas expressaram respeito pela visão do Facebook e afirmam ter potencial no projeto, mas optaram, por enquanto, em redirecionar seu foco.

O Cointelegraph informou anteriormente que Visa, Mastercard e Stripe estavam tentando garantir que o projeto do Facebook não prejudicasse o relacionamento com os reguladores. Os três gigantes de pagamentos sugeriram que o Facebook havia exagerado nas alegações de que os reguladores estavam confortáveis com o Libra. A Stripe inicialmente negou que estivesse considerando uma reviravolta, mas disse hoje em um comunicado:

“A Stripe apoia projetos que visam tornar o comércio on-line mais acessível para pessoas em todo o mundo. O Libra tem esse potencial. Nós acompanharemos seu progresso de perto e permaneceremos abertos a trabalhar com a Associação Libra posteriormente. ”

CEO da Coinbase apoia o Libra

Brian Armstrong, CEO e co-fundador da Coinbase, disse recentemente que acredita que "a maneira como o governo dos EUA reagiu é como se eles quase quisessem ficar para trás".

Ele também ecoou suas preocupações sobre os Estados Unidos, possivelmente se tornando obsoletas devido à obstrução da inovação, acrescentando:

“O caminho para os países permanecerem relevantes a longo prazo e continuarem a ter alto crescimento econômico é investir em ciência, tecnologia e inovação. Se o governo puder ajudar aqui, melhor ainda. Mas primeiro, não precisa fazer mal.