CEO da CipherTrace: 'Regulamentação vai levar criminosos a usar criptomoedas focadas em privacidade'

Os regulamentos sobre criptomoedas da Força-Tarefa de Ação Financeira (FATF), desencadearão uma mudança da atividade criminosa do Bitcoin (BTC) para moedas de privacidade.

Os criminosos usam principalmente BTC e ETH até hoje

David Jevans, CEO da CipherTrace, compartilhou suas observações sobre o uso criminoso de criptomoedas em um painel realizado pelo grupo de defesa da blockchain, a Câmara de Comércio Digital, em 21 de outubro.

Durante o painel, Jevans alegou que as criptomoedas mais conhecidas como Bitcoin e Ether (ETH), são atualmente as mais populares entre os criminosos, devido ao seu nome conhecido e a facilidade de comprar e sacar essas moedas. Jevans enfatizou que 95% do que a CipherTrace identifica como atividade criminosa, está realmente usando as criptomoedas mais populares como Bitcoin e Ether.

Consequências não-intencionais

Uma vez impostas, regulamentações globais de cripto como a regra de viagens da FATF, que exige das exchanges coletar dados pessoais dos usuários, terão consequências indesejadas, como levar atividades criminosas à moedas de privacidade, como Monero (XMR) e Dash (DASH), alertou Jevans.

De acordo com o executivo da CipherTrace, os "esforços" dos reguladores apenas tornarão a troca de criptomoedas como o BTC mais parecida com o setor bancário. Jevans disse:

"À medida que transformamos a comercialização de criptomoedas menos anônima, ela se torna mais parecido com o setor bancário, acho que uma consequência não intencional será a existência de um esforço conjunto para usar essas moedas com privacidade aprimorada".

Em 15 de outubro, a CipherTrace anunciou que expandiu sua plataforma de inteligência de criptomoedas para rastrear 700 tokens, observando que agora pode rastrear "mais de 87% do volume transacional" das 100 principais criptos, como Ether, Tether (USDT), Bitcoin Cash (BCH) e Litecoin (LTC). No entanto, a empresa disse ao Cointelegraph que moedas de privacidade como Monero, não serão suportadas na plataforma em um futuro próximo.

Em meados de setembro, a OKEx Korea, o braço sul-coreano da principal exchange global de cripto OKEx, anunciou oficialmente que retiraria moedas de privacidade das suas negociações, incluindo Monero, Dash, Zcash (ZEC), Horizen (ZEN) e Super Bitcoin (SBTC).