Exchanges 3xBit, Bitrecife e Coinext relatam ao CADE problemas com bancos do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander

As exchanges nacionais de Bitcoin, 3xBit, Bitrecife e Coinext relataram ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) que tiveram problemas com diversos bancos nacionais em processos de encerramento de contas-correntes, conforme documentos enviados ao CADE em processo aberto pela Associação Brasileira de Criptoativos e Blockchain (ABCB).

De acordo com a documentação, até o momento, os bancos citados como tendo gerado 'complicações' para as plataformas nacionais foram: Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander, sendo que alguma das exchanges, têm processos judiciais abertos contra as referidas instituições financieras.

Demais exchanges nacionais ainda devem se manifestar no processo que também deve ouvir os bancos indicados.

No caso da Bitrecife há dois processos, um contra o Itaú e outro contro o Banco do Brasil, ambos por encerramento de conta-corrente, além disso o Itaú teria retirado, supostamente indevidamente, R$ 35 mil da conta bancária da exchange sem qualquer justificativa e, segundo informações, até o momento não teria devolvido o valor.

Já a 3xBit, encontrando dificuldades com o Banco do Brasil, celebrou com a Ernet & Young um contrato de consultoria que resultou em um relatório sobre as políticas de compliance da empresa (o relatório também foi enviado ao CADE). Mesmo assim, não logrou sucesso com o banco nacional.

A Coinext por sua vez relata que o Banco Santander fechou a conta da empresa sem nem mesmo ter feito a 'abertura' oficial e que o fechamento de conta-corrente por parte das instituições financeiras prejudicou suas atividade.

"O Banco Santander informou o encerramento da conta corrente antes mesmo de serem disponibilizadas senhas de acesso e "token". Já as contas encerradas do Banco Itaú e Banco Bradesco o principal impacto foi a perda de clientes e o aumento da insatisfação por parte de clientes que faziam transferências entre contas do mesmo banco para evitar o pagamento da taxa de TED/DOC. No caso específico do Banco Itaú, antes de qualquer comunicação sobre o encerramento da conta, houve o bloqueio por alguns dias do nosso saldo em conta corrente. Este bloqueio causou um enorme transtorno e prejuízo à operação da Coinext e consta nos autos do referido processo judicial em curso contra o Banco Itaú"

Como reportou o Cointelegraph, o Juiz Vallisney de Souza, da décima vara criminal do Distrito Federal, solicitou que três exchanges brasileiras - Foxbit, Braziliex e Mercado Bitcoin - revelem quaisquer dados de movimentação com Bitcoin por parte de suspeitos hackers que teriam invadido celulares de autoridades no Brasil como o Ministro da Justiça, Sergio Moro.