Exchange Foxbit já transacionou 203 mil Bitcoin e quer chegar a 1 milhão de clientes em 2020

A exchange brasileira de criptomoedas, Foxbit, que é apontada pelo Cointrademonitor como uma das principais plataformas de negociação de Bitcoin e criptomoedas do Brasil, declarou que, em 5 anos de existência, já transacionou mais de 203 mil Bitcoins, segundo um comunicado de imprensa compartilhado com o Cointelegraph.

De acordo com o comunicado, declara term 650 mil clientes cadastrados e que teve um crescimento de 349% no último ano, “Tivemos um crescimento de 34.000% de reais transacionados em dois anos de empresa e nós não imaginávamos isso. A abertura do escritório e a contratação de funcionários que vestiram a camisa da Foxbit nos fez chegar a esses números e nos deu reconhecimento no mercado” analisa João Canhada, CEO da Foxbit.

O ano de 2017 foi o marco das criptomoedas no Brasil e no mundo, que registrou o boom e a alta do Bitcoin chegando a valer mais de U$10 mil dólares, um crescimento superior a 1000% em relação ao ano anterior. Só neste ano, a Foxbit teve 380 mil novos clientes em sua plataforma, gerando com isso mais de R$ 3,4 Bilhões transacionados.

“Foi um ano muito promissor para o mercado e para a Foxbit. Estávamos com um time de cerca de 35 funcionários, além disso, no final do ano tivemos o boom do Bitcoin, onde cada dia era uma surpresa. Trabalhamos muito, viramos noites, chegamos a marca de 6 mil cadastros em um único dia, chat funcionando 24h e nos dedicamos ao máximo para suprir toda a demanda que a alta do bitcoin trouxe. Foi bem cansativo, mas também foi um ano de muito aprendizado.”, diz Canhada.

Contudo, em 2018, o ano não teria sido tão 'positivo' para a Fox pois a empresa teve um resultado líquido negativo de cerca de R$ 2,2 milhões, segundo uma Ata da Assembléia Geral Ordinária da empresa realizada em julho deste ano onde foi apresentado o Balanço Patrimonial e as demais Demonstrações Financeiras da Companhia referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2018.

Por conta de uma série de problemas ocorridos naquele ano a Fox, que detinha 51% do mercado de BTC no Brasil e era o ‘preço’ padrão em operações P2P fechou o ano longe das três primeiras corretoras do mercado com cerca de 10% de participação no comércio de compra e venda de Bitcoins no país.

Parte dos problemas de 2018 estaria atrelado às dificuldades enfrentadas durante a migração de plataforma, onde a FoxBit trocou a Blinktrade pela a Alphapoint. Durante o processo de migração, a FoxBit e a Alphapoint tiveram problemas que fizeram com que a plataforma ficasse quase o mês de Julho/2018 inteiro fora do ar. Junto a isto, houve uma remodelação na estrutura da empresa que acabou dispensando diversos funcionários. 

Contudo, segundo a empresa  tanto os prejuízos de 2018 como a 'maré' de problemas teriam ficado no passado e em 2019 a empresa já teria 'quitado' o balanço negativo e resolvido os problemas de instabilidade na plataforma. Já, para 2020, segundo o comunicado, a Foxbit espera conquistar 1 milhão de usuários em sua base.

Recentemente, como noticiou o Cointelegraph, a exchange anunciou a aquisição da plataforma de investimentos digitais Modiax. Segundo a FoxBit, o objetivo da compra da Moriax é aprimorar os serviços, a qualidade e a segurança da plataforma.

"Com a aquisição esperamos melhorar a prestação de serviços para você nosso cliente reforçando nosso time de tecnologia para aumentar a qualidade e reforçar a segurança da nossa plataforma."

Confira mais notícias