Depois de lançar criptomoeda, ex-lateral esquerdo Roberto Carlos tem passaporte bloqueado pela Justiça

Depois de se lançar como embaixador de uma criptomoeda de cassino em setembro, o ex-lateral esquerdo da seleção brasileira de futebol Roberto Carlos teve seu passaporte bloqueado pela Justiça brasileira em caso envolvendo um ex-empresário.

Segundo o diário EXTRA, o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o bloqueio do passaporte de Roberto Carlos pelo não pagamento de indenização ao ex-empresário do atleta, Élio Aparecido de Oliveira.

O ex-empresário está preso, condenado pelo assassinado do advogado Humberto da Silva Monteiro e por tentar assassinar o radialista Josué Soares Dantas.

Segundo decisão da desembargadora Márcia Regina Dalla Déa Barone, relatora na 4ª Câmara de Direito Privado do TJ-SP, o bloqueio do passaporte é "perfeitamente cabível", já foram esgotados os recursos do ex-jogador, ressaltando que apesar de sua "notória capacidade financeira, [ele] continua se furtando de sua obrigação".

Como noticiou o Cointelegraph Brasil, Roberto Carlos lançou-se embaixador do token LUCK, uma criptomoeda da empresa de apostas e cassino online LUCK.io. Não há ligação entre o bloqueio do passaporte do ex-jogador e suas atividades como embaixador da criptomoeda.