Depois da AnubisTrade, Matheus Grijó se dedica a empresa de e-mail marketing e em rastreador de namorado

O fundador da AnubisTrade, Matheus Grijó, após vender a empresa vem se dedicando a desenvolver atividades de pelo menos outros dois projetos do empresário, a Mex10, um empresa de e-mail marketing e o app Rastreador de Namorado.

Ambos os projetos, segundo levantamento feito pelo Cointelegraph, são anteriores a Anubis, plataforma de arbitragem de Bitcoin. No caso, enquanto a empresa que opera no mercado de BTC foi lançada em 2018, a plataforma de e-mail marketing iniciou operações em 2012 e o app em 2013.

A Mex10, da qual Grijó é CEO e fundador, oferece serviços, entre outros, para automatizar mensagens de e-mail e sms e tem sua sede constituída em Santos, litoral de SP.

"Somos uma empresa jovem, criada por jovens e nosso principal foco é dispor aos nossos clientes a maior inovação possível! Gostamos de fazer coisas impossíveis, o que as outras empresas não fazem, provavelmente iremos fazer. Queremos ser o melhor provedor de tecnologia, reconhecido e admirado globalmente como parceiro estratégico, por agir com paixão e energia para conquistar e encantar todos os nossos clientes! Nosso objetivo é transformar em realidade os sonhos dos nossos clientes e colaboradores, por meio de soluções de tecnologia e inovação" declara a apresentação da companhia.

Já o aplicativo para rastrear namorados, foi desenvolvido por Grijó e Danilo Neves Cruz, e permite a espionagem da movimentação do telefone celular do parceiro. A ideia do APP surgiu de Grijó.

“Sabemos que existem muitos aplicativos para rastreamento de aparelhos, usados sobretudos em situações de roubo e furto. Partindo disso, conseguimos aprimorar a ferramenta e inserir outras funcionalidades, como a escuta de ligação, a cópia das mensagens e, também, a localização”, explicou Cruz quando o app foi lançado.

A mecânica do app é relativamente simples e requer somente que o “espionado” tenha um aparelho com sistema Android. A namorada baixa o aplicativo no celular do namorado que, automaticamente, passa a enviar para o aparelho dela todas as informações relativas ao uso daquele telefone, via SMS.

A pessoa pode escolher receber um ou vários relatórios do uso do celular. Inicialmente, o app Rastreador de Namorado ficava totalmente escondido na tela do celular, eliminando qualquer risco da pessoa saber que estava sendo observada.

“Muita gente nos critica, dizendo que o serviço é feito para pessoas neuróticas. Mas, se a mulher não tem desconfiança do parceiro, não precisa baixar o aplicativo”, declara destacando que o app teria sido proibido pela Google, mas ainda pode ser usado segundo os desenvolvedores, por meio de um sistema de assinatura.

Como noticiou o Cointelegraph, Matheus Grijó foi amplamente criticado na comunidade de Bitcoin do Brasil por vender, repentinamente e sem comunicar os clientes, a AnubisTrade para a Atlas Quantum justamente em um momento delicado para os usuários da Atlas.

A empresa de Rodrigo Marques havia sido notificada pela CVM a suspender sua oferta de investimento coletivo e vinha atrasando o saque de clientes, inclusive respondendo a processos judiciais. No entanto, mesmo sem pagar os clientes e sem propor uma solução, a Atlas comprou a Anubis, por, segundo relatos não confirmados, 40 Bitcoins.

A aquisição não foi comunicada de antemão aos clientes de nenhuma das plataformas, porém, a Anubis, até aquele momento não apresentava problema com retiradas, inclusive muitos clientes da Anubis escolhiam a empresa de Grijó por não confiarem no serviço da Atlas tendo em vista que a Anubis oferecia um painel de transparência e o endereço das carteiras.

A venda irritou grande parte dos clientes e gerou uma corrida por saques na plataforma, entretanto, após ser assumida pela Atlas, os saques passaram a atrasar e, no momento da escrita, há diversos relatos de clientes que continuam com seus Bitcoins presos no sistema. Indignados usuários abriram processo contra a empresa e pedem que seu ex-dono seja incluído como responsável.

Confira mais notícias