Cripto exchange QuadrigaCX não é regulamentada pelo orgão fiscalizador canadense

 

A cripto exchange canadense QuadrigaCX não está regulamentada pela British Columbia Securities Commission (BCSC), a agência reguladora financeira da província, relatou a Reuters em 7 de fevereiro.

Com sede em Vancouver a cripto exchange QuadrigaCX foi fundada em 2013 e é supostamente a primeira exchange no Canadá a ser licenciada pelo Centro de Análise de Relatórios e Transações Financeiras do Canadá (FINTRAC).

De acordo com a Reuters, o BCSC estava ciente da Quadriga desde 2017. No entanto, a exchange não era regulamentada, já que não havia indicação de que a Quadriga negociava títulos ou derivativos, ou operava como uma exchange em geral. "Como tal, o BCSC não o regula", disse um porta-voz do BCSC, Brian Kladko, à Reuters.

No início de fevereiro - após a morte repentina de seu fundador Gerald Cotten, de 30 anos - foi informado que sumiram CA$ 190 milhões de dólares (US$ 145 milhões) em ativos digitais da empresa QuadrigaCX.

QuadrigaCX não consegue acessar suas carteiras frias, onde a exchange manteve a maioria dos seus ativos, Cotten era o único responsável pelas carteiras e chaves correspondentes. Notícias recentes dizem que Cotten apresentou um testamento 12 dias antes de sua morte, onde ele mencionou sua esposa, Jennifer Robertson, como a única beneficiária e a executora de suas propriedades.

A morte de Cotten provocou polêmica na comunidade de criptos, com alguns clientes alegando que ele fingiu sua morte para roubar seus ativos. No entanto, mais tarde uma certidão de óbito, emitida pela Direção de Economia e Estatística do Governo do Rajastão, foi revelada, que afirmou que Gerald William Cotten morreu em 9 de dezembro.

Em resposta a acusações de clientes, Jennifer Robertson afirmou em um depoimento “eu não sei a senha ou a chave de recuperação. Apesar de repetidas e diligentes buscas, não consegui encontrá-las em nenhum lugar”. Ela também afirmou que “houveram ameaças contra mim”.

No início do ano passado, a Quadriga estava enfrentando dificuldades para acessar US$ 21,6 milhões de seus fundos, quando o CIBC congelou cinco contas pertencentes ao processador de pagamentos da exchange, a Costodian Inc., e seu proprietário, Jose Reyes. O banco supostamente congelou as contas devido a uma incapacidade de identificar os proprietários dos fundos.

No entanto, o Juiz Glenn Hainey do Tribunal Superior de Ontário subsequentemente decidiu a favor do banco, concordando que o proprietário dos fundos não estava claramente estabelecido. De acordo com a decisão, a CIBC então tinha que repassar os recursos para o Contador do Tribunal Superior, para que o tribunal pudesse identificar o proprietário.