CEO da exchange cripto canadense QuadrigaCX fez testamento 12 dias antes de sua morte

Gerald Cotten, o recentemente falecido CEO da importante exchange cripto canadense QuadrigaCX, redigiu seu testamento 12 dias antes de morrer, relatou a Bloomberg na terça-feira, 5 de fevereiro.

De acordo com os documentos obtidos pela Bloomberg, Cotten assinou seu último testamento em 27 de novembro de 2018. Ele mencionou sua esposa, Jennifer Robertson, como a única beneficiária e executora de seu espólio.

A Bloomberg descobriu que Robertson herdará várias propriedades na Nova Escócia, onde o casal morava, e em Kelowna, na Colúmbia Britânica, bem como um Lexus, um iate Jeanneau 51, um avião e seus dois chihuahuas de estimação.

A exchange cripto canadense QuadrigaCX tem enfrentado dificuldades financeiras desde que seu CEO Gerald Cotten morreu de complicações da doença de Crohn em dezembro de 2018.

De acordo com um depoimento apresentado por Robertson em janeiro, Cotten era a única pessoa a ter acesso às carteiras QuadrigaCX e o CEO não havia deixado nenhuma evidência de senhas. O número de usuários afetados é relatado em mais de 100.000, com cerca de 250 milhões de dólares em criptomoedas e moeda fiduciária supostamente perdidos.

A Bloomberg relata que vários usuários da QuadrigaCX contrataram advogados para instigar o processo para receber seus fundos, no entanto, observando que o tribunal concedeu à exchange de uma moratória de 30 dias para evitar ações judiciais durante este tempo.

A morte de Cotten provocou polêmica na comunidade cripto, com alguns clientes alegando que ele falsificou sua morte para roubar os ativos. Entretanto, mais tarde, foi revelada uma certidão de óbito, emitida pela Direção de Economia e Estatística do Governo de Rajastão, que afirmou que Gerald William Cotten morreu em 9 de dezembro.

Como a Cointelegraph informou anteriormente, um advogado ordenado pelo tribunal receberá o laptop criptografado - que supostamente contém as reservas de cripto - dos representantes da QuadrigaCX. Além disso, os advogados da exchange de criptomoedas estão considerando vender a empresa para saldar as dívidas, conforme revelado em um processo judicial apresentado ontem, 5 de fevereiro.