Urgente: Advogados podem vender QuadrigaCX para liquidar dívidas

Um advogado ordenado pelo tribunal receberá o notebook criptografado do recentemente falecido CEO da importante exchange canadense de cripto QuadrigaCX, Gerald Cotten, informou a rede canadense CBC na terça-feira, 5 de fevereiro.

De acordo com a CBC, o notebook que pode fornecer acesso a US$ 190 milhões de fundos de clientes da QuadrigaCX será entregue a um monitor - um terceiro independente que será nomeado pelo tribunal para monitorar as operações da empresa durante os procedimentos de falência. De acordo com Jack Julian, repórter da CBC que está participando da audiência na corte da Nova Escócia hoje, 5 de fevereiro, o notebook estava em posse de representantes da QuadrigaCX.

Como os ativos foram armazenados em uma carteira fria, o tribunal acredita que o caso da QuadrigaCX não é uma falência típica. Os credores podem considerar mudar a jurisdição para prosseguir com o caso, escreveu Julian em seu Twitter, citando o monitor.

O repórter da CBC também acrescenta que a QuadrigaCX pediu uma suspensão de 30 dias dos procedimentos - que terminará em 7 de março - para procurar os US$ 190 milhões aparentemente inacessíveis após a morte de Cotten. Caso as chaves não sejam encontradas, os advogados que representam a QuadrigaCX estão considerando vender a empresa para sanar as dívidas.

A exchange de criptomoedas canadense QuadrigaCX enfrentou dificuldades financeiras desde que seu CEO Gerald Cotten morreu de complicações da doença de Crohn em dezembro de 2018.

Como alguns dos clientes expressaram dúvidas sobre a morte de Cotten, a Coindesk publicou recentemente um atestado de óbito, emitido pela Direção de Economia e Estatística do Governo do Rajastão, que foi obtido de uma fonte informada. Ele afirma que Gerald William Cotten morreu em 9 de dezembro, e Jennifer Robertson é mencionada como sua viúva.

De acordo com um depoimento de janeiro apresentado pela esposa de Cotten, a exchange aparentemente não tem acesso às suas carteiras, e o CEO não deixou evidências de senhas. O número relatado de usuários afetados é de 115.000, com cerca de US$ 250 milhões em criptomoedas e moeda fiduciária perdidos.