Crimeia considera centro Blockchain para investimentos estrangeiros anônimos para evitar sanções

As autoridades da Crimeia estão considerando criar um cluster de blockchain que apoiaria plataformas de investimento que permitiriam que investidores estrangeiros trabalhassem anonimamente em países sancionados, informou a agência de notícias russa administrada pelo Estado TASS em 16 de novembro.

Anteriormente, nesta semana, o Representante Permanente da República da Crimeia, sob a presidência da Federação Russa, Georgy Muradov, já havia revelado os planos potenciais do governo da Crimeia para criar um bloco de blockchain separado na região para fundos de capitalistas de risco.

Hoje, Roman Kulachenko, presidente da Associação Republicana da Blockchain Technologies Investment, disse que um novo centro educacional internacional para trabalhar com as tecnologias blockchain, como forma de evitar sanções, poderia ser aberto na península da Crimeia.

Segundo Kulachenko, este centro educacional permitiria a formação de especialistas de diferentes países sob sanções na tecnologia blockchain. Ele adicionou:

"Há vários estados que, como a Crimeia, estão sob sanções - por exemplo, a Ossétia do Sul e a Abkházia. Temos os mesmos problemas. E o centro nos permitirá combinar esforços e resolver o problema."

Em setembro, a Coreia do Norte foi acusada de usar criptomoedas para evitar sanções impostas pelos EUA, apesar das atuais restrições impostas aos ativos da Fiat, reportou a Cointelegraph em 26 de setembro.