Confederação Nacional das Seguradoras do Brasil debate uso de Blockchain para seguros

A Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) irá debater os impactos da tecnologia blockchain no setor de seguros e os desafios regulatórios que envolvem a adoção da tecnologia durante o 13º Insurance Service Meeting, que será realizado em São Paulo, nos dias 6 e 7 de novembro, conforme comunicado de imprensa compartilhado com o Cointelegraph em 27 de outubro.

"A tecnologia blockchain vem progredindo rapidamente e a previsão é de que gere um impacto significativo em todo o setor de seguros a partir do desenvolvimento de soluções para reduzir fraudes e agilizar o processamento de pagamentos e da regulação de sinistros, entre outras", diz o comunicado.

As potencialidades da tecnologia blockchain serão abordadas durante um painel chamado “Aplicações de Blockchain em Seguros e seus Desafios Regulatórios”, com a participação do diretor de Inovação e Estratégia do IRB Brasil RE, Lucas Aristides Mello, e do chefe do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação da Susep, Leonardo José Brasil de Carvalho.

O setor de seguros vem adotando, gradualmente, a tecnologia blockchain. Uma das primeiras startups a utilizar blockchain em aplicações para o setor foi a 88 insurtech, que busca oferecer micro e seguros sob demanda.

“A 88 Insurtech já nasceu digital, utilizando a blockchain como ferramenta de negócio. Conseguimos fazer a transação da captação de informação com o máximo de transparência entre preço e valor, o tornando aceitável para o nosso público”, afirmou Renato Lyra, conselheiro de vendas e seguros da startup.

Como noticiou o Cointelegraph, a corretora líder em seguros e gestão de riscos Marsh anunciou a adoção de blockchain em uma plataforma digital para renovações de seguros já existentes.

Confira mais notícias