CEO da Coinbase: Extinta exchange QuadrigaCX pode não ter planejado golpe

O CEO exchange norte-americana Coinbase adicionou algumas teorias sobre a derrocada da plataforma canadense QuadrigaCX nos comentários mais recentes das mídias sociais em 21 de fevereiro.

Em uma série de tweets, Brian Armstrong sugeriu que a exchange, que atualmente está atualmente passando por procedimentos de reestruturação e deve aos credores US$190 milhões, não cometeu fraude.

“(A QuadrigaCX) era uma das exchanges mais antigas em existência (foi fundada em 2013). Se eles planejaram uma fraude na saída, eles deveriam ter calculado o tempo melhor”, declarou.

Usuários da agora extinta Quadriga estão brigando na justiça para assegurar o ressarcimento os fundos perdidos. As exatas circunstâncias em que seus depósitos desapareceram permanecem incertas; O CEO da exchange, Gerald Cotten, morreu repentinamente em dezembro.

Desde então, começou-se a se especular de que os fundos foram alvo de má gestão e que a informação oficial dos representantes da Quadriga não acompanhava as análises de blockchain.

A Coinbase conduziu sua própria investigação, segundo Armstrong, e sugeriu que os últimos meses de operação pode levantar questões sobre a gestão da empresa.

“Uma sequência de fatos sugere que houve uma má gestão e uma tentativa subsequente de acobertá-la”, ele escreveu, completando:

“Isso quer dizer que pelo o menos algumas pessoas dentro da Qadriga (sic) sabian que eles estavam operando de forma fracional. Se é assim, então é possível que a morte recente de seu CEO tenha sido usado como vitrine para deixar a empresa afundar”.

O auditor do Big Four Ernst & Young atualmente é responsável pela consolidação das carteiras e contas da Quadriga. Na terça, a exchange transferiu o balanço das carteiras remanescentes para as posses da empresa.