Sem receber, clientes da Unick Forex montam acampamento em sede da empresa; juiz fala em 'Pirâmide financeira'

Com saques atrasados e sem receber os valores investidos, clientes da Unick Forex, suposta pirâmide financeira com Bitcoin, montaram acampamentos na frente da sede da empresa no Rio Grande do Sul, segundo vídeo divulgado nas rede sociais.

Os clientes pedem a devolução do dinheiro investido e protestam contra a falta de transparência da empresa, “Devolva o meu dinheiro, estou insatisfeito”, diz o cliente.

Clientes tem relatado no site Reclame Aqui, que a empresa havia prometido devolver o dinheiro daqueles que pediram o cancelamento de suas contas. Estes, teriam seus recursos restituídos mas seriam colocados em uma 'lista negra' e não poderiam mais voltar a empresa.

Entretanto nem estes clientes conseguiram reaver seus valores, "Quero meu dinheiro de volta já fiz o cancelamento e até agora nada", diz um investidor.

A Unick prometia alta rentabilidade sobre o investimentos de seus clientes. A empresa afirmava fazer operações de Forex com Bitcoin e criptomoedas. Entretanto Forex é proibido no Brasil e a empresa recebeu diversos alertas da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil, CVM.

Mas a Unick não parou as atividades apesar da proibição da autarquia e continuou a angariar clientes. Fato que resultou em novos alertas que culminaram com ações encaminhadas para o Ministério Público e para outras instituições investigativas.

Clientes também tem procurado a justiça para reaver seus valores e, em uma das decisões, o juiz entendeu que a empresa age tal qual uma pirâmide financeira e determinou bloqueio de bens na empresa.

"Considerando a grande possibilidade de fraude e pirâmide financeira, a fim de resguardar a eficácia de eventual sentença condenatória, defiro a medida liminar, para determinar o arresto do valor indicado na petição inicial (fls. 12), nas contas mantidas pelas rés nas diversas instituições financeiras do país"

Com noticiou o Cointelegrah, a Justiça do Rio de Janeiro condenou Leidimar Lopes e todos os sócios da Unick Forex a devolverem um total de R$ 28.500 a um cliente que iniciou um processo contra a empresa por atraso em saques na plataforma e danos morais, a decisão foi publicada em 12 de setembro.

De acordo com a decisã a suposta pirâmide financeira que afirmava investir em Bitcoin prometendo retornos acima de 30% sobre os investimentos, foi feita 'a revelia', ou seja, os réus no processo não apresentaram sequer defesa das acusações.

No polo da ação também foi incluinda uma empresa chamada BRI Group Brasil Investimetnos Eirelli, que também terão os bens penhorados, até o valor da ação, para cobrir a dívida da determinação judicial.