Autoridades chinesas confiscam quase 7.000 máquinas de mineração de criptomoedas

As autoridades chinesas apreenderam quase 7.000 máquinas de mineração de criptomoedas que consumiam energia elétrica ilegalmente, conforme a agência CCTV noticiou em 22 de dezembro.

O confisco de mineração de criptomoeda ocorreu como parte de uma inspeção de mais de 70.000 famílias, 3.061 comerciantes, 1.470 comunidades, além de fábricas, minas, pátios e aldeias na cidade de Kaiping, no distrito de Tangshan. A inspeção foi realizada pela polícia de Tangshan em colaboração com o Departamento Estadual de Energia Elétrica e outras autoridades que procuram inspecionar o uso suspeito de eletricidade.

Durante a investigação, iniciada em abril do ano passado, as autoridades apreenderam 6.890 mineradoras ASIC e 52 transformadores de alta potência. Segundo a polícia, os mineradores de criptografia estavam roubando eletricidade de uma vila próxima. A polícia também disse que as máquinas de mineração de Bitcoin (BTC) estavam operando 24 horas por dia, consumindo eletricidade a taxas de até 40 vezes as de uma família comum.

Operações contra a mineração cripto

China, onde a mineração de BTC é responsável por quase 66% da taxa de hash global, tem combatido ativamente o uso ilícito de energia por mineradoras de criptomoedas. Em meados de novembro, os reguladores da Região Autônoma da Mongólia Interior da China reforçaram seu controle sobre as empresas de mineração de criptografia, dizendo que pretendem enviar unidades de inspeção para garantir a “limpeza e retificação de empresas de mineração de token de criptografia” na região.

Algumas outras jurisdições como a Abkhazia também intensificaram o trabalho na identificação de fazendas de mineração de criptografia. O governo notificou no início de dezembro que o aumento significativo das cargas nas redes elétricas era agravado pelo surgimento de um número crescente de fazendas ilegais de mineração de criptografia conectadas a uma empresa de energia local.

Em novembro, as autoridades iranianas ofereceram uma ofereceram a quem denunciar operações de mineração não autorizadas no país. As pessoas que expõem operações de mineração de criptomoeda que usam ilegalmente eletricidade subsidiada receberão supostamente até 20% dos danos recuperados.