Banco Central da China lança sistema de certificação para produtos fintech

O banco central da China, conhecido como Banco Popular da China (PBoC), vai usar um novo sistema para certificar 11 tipos de produtos de hardware e software fintech relacionados a pagamentos digitais.

Em 29 de outubro, o PBoC ao lado do regulador de mercado da China, a Administração Estatal de Regulação do Mercado (SAMR), divulgou uma série de documentos para o novo sistema nacional de Certificação de Produtos Fintech (CFP). Os documentos incluem definições de produtos fintech que requerem certificação e regras para seus procedimentos.

Os produtos listados incluem softwares de aplicação incorporado, plataformas de computação em nuvem, softwares de usuário front-end, operadoras e chips de segurança, bem como terminais de ponto de venda e caixas eletrônicos.

No documento chamado “Regras de certificação de produtos da Fintech”, o PBoC e SAMR estabelecem que, para obter um certificado CFP do banco central, os candidatos deverão passar por um exame de protótipo e por inspeções no local.

O certificado é válido por 3 anos e requer uma renovação após a data de vencimento, observaram as autoridades. Durante o período de validade, os portadores de CFP terão que passar por inspeções aleatórias em qualquer estágio do processo de produção, diz o documento.

Além disso, portadoras do CFP serão proibidas de usar a certificação para fins publicitários, e a incorporação do certificado aos logotipos deve ser autorizada.

PBoC nega estar pronto para lançamento de renminbi digital

O novo anúncio do banco central da China ocorre apenas um mês depois do banco negar publicamente relatos de que sua moeda digital do banco central (CBDC), um renminbi digital, estaria prestes a ser lançada. Em 24 de setembro, o PBoC afirmou que a instituição financeira precisa de tempo para pesquisas, revelando que não há um cronograma específico para o lançamento do CBDC.

Em 28 de outubro, a China registrou um forte crescimento do interesse na tecnologia blockchain depois que o presidente Xi Jinping convocou uma adoção mais rápida da tecnologia blockchain. Hoje, o Cointelegraph noticiou que o governo de Guangzhou formou um novo fundo de subsídio de US$ 140 milhões para incentivar o desenvolvimento de iniciativas de blockchain.