Juiz canadense adia decisão sobre representação legal para clientes da QuadrigaCX

Um juiz canadense adiou a decisão sobre a representação legal dos clientes da importante exchange de criptomoedas canadense QuadrigaCX. A notícia foi tuitada pelo repórter da Canadian Broadcasting Corporation Jack Julian em 14 de fevereiro.

Na quinta-feira, 14 de fevereiro, a Suprema Corte da Nova Escócia reuniu mais de uma dúzia de advogados que representam 115 mil traders de criptomoedas que possuem em torno de US$ 260 milhões presos na Quadriga após o fundador da exchange, Gerald Cotten, falecer repentinamente. Especificamente, os clientes estão buscando CA$ 70 milhões (US$ 52 milhões) em dinheiro e CA$ 190 milhões (US$ 142 milhões) em Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas.

O juiz Michael Wood teria dito que emitiria uma decisão por escrito no caso dentro de uma semana. Enquanto isso, o monitor apontado pelo tribunal, a Ernst & Young, revelou que, no estágio atual, a exchange deve CA$ 100.000 (US$ 75.000) aos advogados, enquanto a Quadriga afirma que “nesse momento, não temos nada."

Maurice Chiasson, um advogado que representa a Quadriga, afirmou que a esposa de Cotten, Jennifer Robertson, “investiu 250 mil dos 300 mil dólares devidos para financiar esse processo até agora. Mas esse dinheiro vai acabar nas próximas duas semanas, se não antes."

Após a apresentação das equipes legais competentes, Wood disse que "não tem certeza se você facilitou a minha vida." A Ernst & Young disse que os primeiros nove dias do processo foram "frenéticos", também enfatizando a necessidade de estabilizar as investigações atuais sobre as operações da Quadriga.

Em 13 de fevereiro, a Cointelegraph informou que em um relatório da Ernst & Young lançado recentemente chamado "Primeiro Relatório do Monitor", a firma de auditoria membro do "Big Four" revelou que:

“Em 6 de fevereiro de 2019 a Quadriga inadvertidamente transferiu 103 Bitcoins avaliados em aproximadamente US$ 468.675 para carteiras frias Quadriga que a emrpesa atualmente não tem acesso. O Monitor está trabalhando com a Adminstração para recuperar essa criptomoeda das várias carteiras frias, caso seja possível.”

No decorrer da auditoria, a Ernst & Young detectou uma série de dispositivos eletrônicos da Quadriga - supostamente de propriedade ou usados ​​por Cotten - incluindo quatro laptops, quatro telefones celulares e três chaves USB totalmente criptografadas. A Ernst & Young teria armazenado os dispositivos em um cofre.