'Como vou comprar Bitcoin sem dinheiro?': brasileiro está 'quebrado', diz pesquisa da CVM

Ao contrário do que era esperado, a economia do país ainda caminha a passos lentos, o que vem refletindo na situação financeira do consumidor. É o que aponta o Indicador de Bem-Estar Financeiro, mensurado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), com apoio da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), segundo publicação oficial feita pela CVM em 05 de setembro.

Segundo a comunicação, dados apurados no mês agosto mostram que quase sete em cada dez (68%) entrevistados reconhecem não ter capacidade de lidar com imprevistos e apenas 9% dizem conseguir arcar com despesas que extrapolam o orçamento.

A pequisa revela ainda que 60% dos brasileiros chegam ao fim do mês sem sobras de dinheiro. Praticamente um terço (29%) consegue, às vezes, fazer uma reserva e apenas 10% guardam sempre ou frequentemente alguma quantia. Já 22% temem que o dinheiro não dure.

Este cenário pode refletir também no crescimento da industria de criptomoedas no Brasil e, como a maioria da população esta 'sem dinheiro', isto pode impedir a entrada de novos investidores em criptoativos.

De acordo com a publicação, viver no limite do orçamento tem sido a realidade de muitos brasileiros. Segundo aponta o levantamento, 61% reconhecem não aproveitar a vida por administrar mal o dinheiro, enquanto 31% não conseguem viver plenamente em razão de sua condição financeira. Além disso, 43% afirmam que nunca ou raramente poderiam dar um presente — seja de casamento, aniversário ou em alguma outra ocasião especial — sem prejudicar as finanças do mês.

Investir agora pensando no futuro é ainda uma situação bem distante, a pesquisa aponta que o grande desafio para o brasileiro continua relacionado ao preparo financeiro para os próximos anos: 57% não têm planejado ações que assegurem o futuro financeiro. Os números mostram ainda que quase a metade (44%) dos consumidores acreditam, que, por causa da sua situação financeira, não terão as coisas que querem na vida.

Como noticiou o Cointelegraph, com relação a investimentos em criptoativos, especialistas tem apontado a espectativa em torno do lançamento da Bakkt como catalizador para a recente alta no preço do Bitcoin.

"Embora Bakkt ainda não tenha sido lançada oficialmenteo, a atitude positiva da comunidade de criptomoedas em relação ao BTC  e os derivados criptografados da Bitfinex forçaram baleias  a parar de baixar os preços", argumenta Xiu MU.