A cripto Exchange britânica CEX.IO agora requer informações de identidade de usuários

A exchange de criptomoedas baseada no Reino Unido, a CEX.IO, agora exige que seus usuários divulguem suas identidades, informou o Financial Times em 11 de dezembro.

Fundada em 2013, a CEX é uma plataforma de negociação de criptomoeda baseada em Londres, inicialmente criada como um provedor de mineração em nuvem. Atualmente, a bolsa suporta oito principais moedas digitais e quatro principais moedas fiduciárias, enquanto seu volume diário ajustado é de cerca de US $ 4,9 milhões, segundo a CoinMarketCap.

Embora a situação com o Brexit - cenário em que o Reino Unido deixa a União Europeia - permaneça turva, a CEX.IO faz negócios com clientes internacionalmente e, portanto, visa cumprir as regulamentações internacionais relevantes, incluindo a Quinta Diretiva de Combate à Lavagem de Dinheiro (AML) da UE. A diretiva entrou em vigor em julho de 2018, e os estados membros da UE têm até 10 de janeiro de 2020 para implementá-lo em suas respectivas leis nacionais.

O CEX.IO também é um membro registrado da Financial Crimes Enforcement Network (FinCen) do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos e ainda precisa realizar operações de acordo com a legislação dos EUA. O assessor de assuntos regulatórios do CEX, Serhii Mokhnev, comentou a decisão da empresa:

"Nós sempre entendemos a importância de lidar com a moeda virtual dentro de uma estrutura legal, então a verificação obrigatória para clientes que operam em moeda fiduciária foi introduzida muito antes da Quinta Diretriz de Prevenção à Lavagem de Dinheiro ser adotada na UE."

Em dezembro de 2017, o Reino Unido e a UE anunciaram conjuntamente que estão planejando uma repressão à lavagem de dinheiro com criptos e à evasão fiscal. O aumento da regulamentação, em consonância com as diretivas da UE, pretende limitar a quantidade de anonimato possível para os comerciantes de criptomoedas. Em outubro, o secretário econômico do Reino Unido para o Tesouro Stephen Barclay disse:

"O governo do Reino Unido está atualmente negociando emendas à diretiva Anti-Lavagem de Dinheiro que trará plataformas de câmbio virtual e provedores de custódia para a regulamentação do Combate à Lavagem de Dinheiro e ao financiamento do terrorismo, o que resultará na supervisão dessas atividades pelas empresas nacionais. autoridades competentes para estas áreas."